Musculação íntima e polêmica

Sexóloga cria o ‘Kung-Fu Vaginal’ para melhorar o desempenho sexual feminino

Por bferreira

Rio - Uma técnica inusitada, que promete mais prazer sexual para as mulheres, virou polêmica na internet. Batizado de ‘Kung-Fu Vaginal’, o método consiste em fortalecer a musculatura íntima feminina com o levantamento de pesos. Segundo a autora da ideia, a sexóloga e ‘coach’ de relacionamentos norte-americana Kim Anami, os resultados a longo prazo são mais libido e orgasmos intensos.

>>> INFOGRÁFICO: Veja como funciona a técnica

Segundo Anami, a vagina (assoalho pélvico e paredes internas do canal) precisa ser tão forte quanto qualquer músculo do corpo. Por isso, diz ela, técnicas já difundidas — como as criadas nos anos 40 pelo ginecologista Arnold Kegel —, que se “limitam” a exercícios de contração, não ajudariam muito. No ‘Kung-Fu’, a mulher usa um artefato dentro do corpo, com um peso na extremidade externa. Para mantê-lo no canal vaginal, seria necessário ‘segurar’ o peso, desenvolvendo força.

Anami não se desvia da polêmica, ao dizer que boa parte das mulheres tem “vaginas fracas”, cujo efeito principal é falta de sensibilidade e o consequente desinteresse por sexo. Segundo a americana, isso ocorre porque elas não integraram a sexualidade ao resto de suas vidas.

A sexóloga e psiquiatra Rita Jardim está de acordo quanto à razão para a falta de apetite sexual — a ‘desconexão’ entre mente e corpo —, mas não concorda nem com a abordagem proposta por Anami, nem com o termo usado por ela.

“O que cria mais prazer no ato sexual, com orgasmos mais intensos e frequentes, como ela promete, é a consciência corporal da mulher, e a sua intimidade com seu órgão, e não o levantamento de peso”, argumenta.

A especialista também alerta para o risco físico da prática: “Pode arranhar a mucosa interna, abrindo espaço para infecções”.

Vídeo promete grande aumento de libido

O ‘Kung-Fu Vaginal’ ficou conhecido depois que o vídeo ‘Dez razões para levantar pesos com a sua vagina’ foi lançado. Com senso de humor, a autora explica que, se praticarem a técnica com afinco, as mulheres poderão entrar no livro dos recordes, e aumentar a libido, com sua nova supercapacidade. Veja: http://goo.gl/Vus27w

Na opinião da especialista Rita Jardim, Kim Amani não acrescenta nada de muito novo à lista de práticas do gênero. “Objetos com peso já eram largamente utilizados desde a origem hindu das técnicas. Até o arremesso de bolas de pingue-pongue pela vagina já era praticado por prosititutas da Tailândia. Não há nada de muito novo”, analisa a sexóloga.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia