Beatriz Acampora: Estresse positivo

Quando a situação planejada e desejada se concretiza, há uma grande sensação de satisfação e prazer

Por thiago.antunes

Rio - Fim de ano é época de festas e férias. Hora de reunir a família e amigos para confraternizar e descansar. Mas planejar a ceia de Natal, o Ano Novo ou as férias pode causar tensão. Quando as responsabilidades não são bem divididas e há sobrecarga de tarefas, é possível surgir algum estresse, reação normal diante de algo que sai da rotina ou da zona de conforto. A pessoa acaba precisando de esforço extra para realizar as atividades.

Uma excursão para um lugar paradisíaco ou uma maratona de compras de Natal, possíveis fontes de tensão, se transformam em estresse negativo quando não se consegue administrar positivamente a energia empregada. As exigências passam a ser muito altas, causando frustração. O padrão estabelecido deve ser coerente com o que é possível de ser feito para aquilo que é potencialmente bom não virar uma avalanche de emoções perturbadoras.

Diante de um agente estressor, o organismo busca a adaptação diante das novas exigências do meio ambiente. O estresse positivo direciona à realização de algo e pode contribuir para o cumprimento daquilo que se deseja.

Geralmente é de curta duração, liberando substâncias no corpo, como a adrenalina, que deixam a pessoa mais motivada e atenta para realizar seus propósitos. Quando a situação planejada e desejada se concretiza, há uma grande sensação de satisfação e prazer, o que leva a pessoa a se sentir realizada diante de datas e ocasiões singulares.

Suas festas de fim de ano e férias podem ser mais bem aproveitadas se você compreender seus limites e não assumir funções que não quer realizar ou que sabe que não se sentirá confortável ao fazer. Ser honesto consigo mesmo é fundamental, bem como compartilhar tarefas com todos os envolvidos.

Planejar e compartilhar são duas palavras-chave que contribuem imensamente para o sucesso das ocasiões em que se está envolvido. O estresse positivo pode facilitar muito os seus momentos familiares e de descanso, mas é preciso se permitir.

Beatriz Acampora é psicóloga

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia