Editorial: Importância dos tribunais de contas

As recentes irregularidades na Saúde reforçam a importância dos TCMs, TCEs e do TCU, assim como a dos MPs

Por paulo.gomes

Rio - Em esforço conjunto, o Tribunal de Contas do Município do Rio e o Ministério Público atentaram para mais um indício de desvio de dinheiro público. Desta vez, localizaram-se vazadouros em unidades de saúde sob gestão da Prefeitura do Rio, em um rombo inicialmente estimado em R$ 11 milhões, como O DIA mostrou na edição de ontem. Mais uma vez, os fiscais encontraram suspeitas de superfaturamento na contratação de vigilância, limpeza, nutrição hospitalar, serviços de raio X, aquisições de material para cirurgia e compra de medicamentos. De positivo, a pronta reação do prefeito Eduardo Paes, que determinou rigorosa investigação e garantiu não hesitar em cancelar contratos ou barrar prestadores.

Se comprovadas todas as denúncias, mais uma vez um tribunal de Contas e o MP terão detectado esquemas lesivos ao Erário num setor vital para a população, a Saúde. Em nenhum outro a roubalheira é tão abrasadora: paga-se mais por um serviço ou por item que não estará disponível — não da maneira ideal, prevista no contrato.

As recentes irregularidades na Saúde reforçam a importância dos TCMs, TCEs e do TCU, assim como a dos MPs. Com autonomia e independência, esses órgãos continuarão a examinar cada vírgula dos contratos, descobrindo malfeitos. Cabe ao país aprender com eles para evitá-los.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia