Editorial: Urgência no combate à violência

Três meses depois da promulgação da Lei do Desmonte, o Detran nada fez para cadastrar ferros-velhos

Por bferreira

Rio - Devia ser consenso em qualquer esfera de governo a urgência para tratar questões de segurança pública. Mas, infelizmente, nem sempre se conta com a celeridade desejada. Exemplo, mostrado pelo DIA ontem, ocorre com o Detran. Três meses depois da promulgação da Lei do Desmonte, o departamento nada fez para cadastrar ferros-velhos. Ontem, porém, surgiram as promessas de praxe.

Não deixa de ser algo positivo o compromisso público do Detran. Mas, num estado que registrou 2.429 roubos de veículos somente no mês passado — ou três por hora —, muitos com desfecho trágico, a demora fez diferença, e para pior.

A Lei do Desmanche tem como objetivo asfixiar a rede clandestina de autopeças que tanto estimula criminosos. O texto atinge essa indústria do mal em cheio, prevendo até queda nos valores dos seguros de automóveis.

Mas nada disso acontecerá se as partes envolvidas não agirem. E já passou da hora de fazê-lo.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia