Beltrame legaliza os bailes funk

Secretário quer nova resolução pronta antes do fim deste ano

Por thiago.antunes

Rio - O baile funk nas comunidades vai ser legalizado até o fim do ano. Sem alarde, a Secretaria de Segurança entregou à Casa Civil, em abril, um estudo pedindo a flexibilização da Resolução 013, que prevê uma série de pré-requisitos para a realização de eventos, tanto na favela quanto no asfalto. O tema vem avançando e o grupo de estudo que trabalha no assunto deve entregar suas conclusões até setembro. O secretário José Mariano Beltrame já bateu o martelo: quer a nova resolução pronta e publicada no Diário Oficial antes das festas de fim de ano.

“A responsabilidade sobre o baile funk não pode ficar só nas costas da segurança”, diz Beltrame. “É preciso dividir com toda a sociedade, bombeiros, transportes etc”, apregoa. Beltrame sabe que a volta dos bailes às áreas pacificadas pode melhorar a imagem das UPPs entre os jovens, apesar de ter números impressionantes sobre reclamações de barulho nas ouvidorias das unidades. “Não tem nada mais carioca do que o funk”, acredita o secretário.

Bailes funk foram legalizados por BeltrameFabio Gonçalves / Agência O Dia

Coordenador das UPPs: 'É questão de tempo'

Para o coronel Paulo Henrique, ex-comandante do Bope e agora coordenador das UPPs, a grande questão do funk é a ressignificação do baile, cuja imagem ainda é muito ligada ao tráfico. “Temos de mudar isso aos poucos”, prega.

“A volta dos bailes é questão de tempo”. Enquanto a Resolução 013 não muda, bom senso é o melhor caminho. “Mas é preciso haver algum grau de exigência. Acabou o tempo em que podia tudo”.

'DJ Gordinho' sonha com bailes na Cantar

Espécie de embaixador informal do Complexo do Alemão, Carlos Eduardo Gomes, o DJ Gordinho da ‘Som Digital’, não vê a hora de voltar a fazer tremer a quadra da Rua Canitar — ‘meca’ dos bailes à época do tráfico. “Houve exagero”, diz, sobre os seis eventos que fazia por semana.

“Mas agora só quero fazer um”. Gordinho tenta, sem sucesso, convencer a UPP local a liberar a quadra. Diz que é a opção mais barata de divertimento para o morador. “Funk não é putaria, é a cultura da favela. Não é porque era de um jeito que vai voltar a ser assim”.

Funk e insônia

Além do temor de perder o controle da segurança com a liberação, o coronel Paulo Henrique diz que muitos moradores não gostam dos bailes. “É quem não dorme com o barulho. Tenho que ouvi-los também.”

Má reputação

‘É preciso cuidado com a repercussão da liberação para não dizerem que a bagunça voltou”, diz o coronel. A estratégia é a mesma de Beltrame: dividir responsabilidade. “A questão não é da PM, é da comunidade”.

Para Júlio Ludemir, 'É como proibir sexo'

Criador da ‘Batalha do Passinho’, Júlio Ludemir diz que impedir os bailes é como proibir o sexo. Para ele, o evento caiu no colo do tráfico por ter sido expulso do subúrbio.

“E hoje se repete o mesmo movimento ao proibi-lo nas favelas”, defende. “Está na hora de as pessoas pararem de ter medo de jovens pobres reunidos”. Para ele, a proibição condena os jovens a uma única opção: tornarem-se evangélicos. “É preciso encontrar um caminho entre estes dois estereótipos nas favelas. Quem gosta de funk não é bandido.”

Arraiá da Reciclação

Neste sábado, a partir das 14h, na quadra do Morro dos Prazeres, o Arraiá da Reciclação. Com 20 itens recicláveis, como caixinhas de leite e creme de leite, ou garrafas PET, o morador ganha seis tíquetes para comer ou brincar. Cris dos Prazeres, organizadora do evento, está animada. “Vai ser o arraial da família.”

Olha o Vidigal aí...

Desde 1989 afastada da Sapucaí, a Acadêmicos do Vidigal começa, terça-feira, sua caminhada de volta ao Sambódromo. “Vou à Liesa para ressindicalizar a escola”, diz o presidente Rodrigo Art, há três meses no cargo. No projeto de crescimento, a escola faz, domingo que vem, o ‘Caldos de Julho’, com samba e comida.

Alemão I

A Unisuam oferece atendimento jurídico gratuito toda sexta-feira, na Avenida Itararé 340, ou pelo telefone 3882-9787.

Japeri

Cinco golfistas de Japeri viajam quarta-feira para disputar o circuito mundial de golfe juvenil, em São Carlos, no ABC paulista, entre eles o campeão juvenil brasileiro, Cristian Barcelos.

Arena Dicró

Favela e asfalto se unem na literatura depois de amanhã, na Arena Dicró, na Vila da Penha, na segunda Flip-Flupp.

Alemão II

A CoopLiberdade oferece oficinas de brinquedo e mosaico plástico hoje, das 10h às 15h, na estação Baiana do Teleférico.

SEMANA que vem o Borel receberá o ‘Embratel de Braços Abertos’, com percursos de 5 km e 10 km. As inscrições são gratuitas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia