A arte que media conflitos

Um grupo de crianças desenha quando uma delas mostra, orgulhosa, a suástica que fez no pulso — e muda o rumo da aula numa das sedes da ONG Favela Mundo, em Água Santa

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio -  Um grupo de crianças desenha quando uma delas mostra, orgulhosa, a suástica que fez no pulso — e muda o rumo da aula numa das sedes da ONG Favela Mundo, em Água Santa. “Você acha que a única forma de resolver um problema é com a guerra?”, questiona Marcelo Andriotti, 36 anos, criador do ‘Favela’. O debate, que ele instiga diariamente para mais de 150 jovens das comunidades no bairro, faz refletir. “As aulas são uma desculpa para a mediação de conflitos”, afirma.

Motivado pelos constantes conflitos que via%2C Marcelo Andriotti%2C em 2008%2C resolveu ver como o teatro poderia ajudar as criançasDivulgação

Nascido no Rio Grande do Sul, ele conta que chegou ao Rio para estudar teatro em 1999 e se apaixonou pela cidade. Motivado pelos constantes conflitos que via, em 2008 resolveu ver como o teatro poderia ajudar as crianças. “Comecei no Tabajaras e lá as elas eram bem violentas. Mas já melhorou.” Além de Água Santa, Marcelo está em Vargem Grande. Maré e Cidade de Deus são as próximas paradas.

Além do teatro

Se começou com teatro em 2008, pouco a pouco foi expandindo suas atividades. Hoje, na sede e na filial do Favela Mundo não se aprende só esta arte como forma de inclusão: desenho, música, pintura e maquiagem artística também são oferecidas, junto com inglês. Em 2013 Marcelo foi o único representante do Brasil em Conferência da ONU em Nova Iorque.

Marcelo nasceu no asfalto, mas sentiu na pele o preconceito ao escolher o nome Favela Mundo. “Ouvi muita gente dizer que era preconceituoso usar este nome. Mas a ideia surgiu para mostrar o valor da favela, da favela para o mundo.” Foi justamente o nome que atraiu patrocínio. “Durante a seleção me ligaram e disseram que iam nos apoiar por isso".

Disque-teatro

Depois do disque-pizza, japa e farmácia, o Festival Home Theatre, em cartaz no Rio até o dia 25, traz o ‘disque-teatro’. “Você telefona e escolhe alguém para receber uma peça”, afirma Marcus Faustini, idealizador do evento. O serviço gratuito estará disponível até sexta-feira. Quem quiser abrigar uma peça basta ligar para 2507-2909 ou 98901-3219.

Expertise do Brasil para o mundo

Marcelo não para. Dia 8, voltou de uma conferência em Cuba. “Fizemos desfile pelas ruas e todos plantaram uma árvore como símbolo de união os povos. A experiência foi incrível.” Ele já voltou pensando na viagem do ano que vem. “Me pediram também para levar crianças.” Em abril Marcelo aproveitou suas férias na Argentina para um encontro com participantes da conferência da ONU. “Estamos fazendo um projeto com a ideia de educação global, mas que valorize as questões específicas de cada país, de cada cultura.”

Abdias no prazeres

A agenda cultural no Morro dos Prazeres segue firme. Amanhã o líder negro Abdias Nascimento será homenageado pelo seu centenário, desta vez com a apresentação do espetáculo ‘Rito do Nascimento’. A peça começa às 17h e une teatro de rua, circo e religiões africanas e indígenas, através da Companhia Mysterios e Novidades e a Cia dos Prazeres.

Agenda

Vila Kennedy

O Grande Circo dos Irmãos Saúde (Circo Teatro Artetude) se apresenta hoje na Vila Kennedy, dentro do Festival Internacional do Circo. Às 16h, na Praça do Leiria (Barrão).

Pavão

O festival internacional de circo segue na Zona Sul, com a trupe do Mattress Circus, que se apresenta às 15h, Quadra do Pavão/Pavãozinho – Av. Pavão/Pavãozinho, s/nº .

Ricardo de Albuquerque

A Cia. de Teatro BuZum apresenta quarta-feira o espetáculo ‘O Mundo é uma Bola’, às 9h30 e às 15h30, na Escola Municipal Narbal Fontes, na Rua Umbuzeiro 455.

Manguinhos

A Companhia Manguinhos Encena está com inscrições abertas para seis atores. A aula-teste acontece nesta segunda na Av. Dom Hélder Câmara 1184, telefone: 2334-8915.

A Coral dá sequência este sábado ao ‘Tudo de Cor’ no Santa Marta, que já pintou 228 edificações da favela. Desta vez serão 10 casas, com 40 voluntários de uma empresa de TV a cabo. A pracinha em frente à Estação 4 do Plano Inclinado também será colorida, a partir das 10h

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia