Programa debate efeitos da maconha

A descriminalização do uso de drogas e suas consequências aos usuários sob o ponto de vista médico são os destaques

Por thiago.antunes

Rio - A descriminalização do uso de drogas e suas consequências aos usuários sob o ponto de vista médico são os destaques do 10º programa ‘Rio, Cidade sem Fronteiras’, dos jornais O DIA e ‘Meia Hora’, que vai ao ar nesta terça-feira, às 21h50, na TV Alerj.

No debate, Sérgio Couto, conselheiro sobre dependência química, defende a regulamentação da maconha apenas para estudos científicos. Em seu trabalho ele lida com jovens com síndrome amotivacional por conta do uso da cannabis: “Canso de ver jovens sem vontade de fazer qualquer atividade nas clínicas por síndrome de abstinência”.

Jomar Braga Filho, psiquiatra do Instituto Philip Pinel, criticou o arsenal terapêutico do Estado para tratar a dependência química em seu hospital. “Estamos no século passado em relação aos medicamentos”, disse. O debate tem ainda as presenças de Tião da Maré, do Instituto Vida Real, que acolhe dependentes químicos da Maré e faz um trabalho de prevenção entre os jovens da comunidade, e Eduardo Alves, diretor do Observatório de Favelas.

Eduardo defendeu a regulamentação e denunciou a discriminação entre usuários da elite e das favelas. “A polícia trata quem fuma maconha de forma diferente se ele estiver na favela ou na Zona Sul”, disse. A TV Alerj pode ser sintonizada no canal 12, no Rio, e canal 3, em Niterói.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia