Por thiago.antunes

Rio - Uma das estrelas do prefeito Eduardo Paes, as Naves do Conhecimento crescerão ano que vem. Durante palestra do professor e intelectual português Alvaro de Oliveira, 71, na unidade de Triagem, semana passada, o secretário municipal de Ciência e Tecnologia, Franklin Dias, anunciou a construção de três naves em 2015: Ricardo de Albuquerque, Jardim Bangu e Engenho de Dentro.

A ideia é oferecer inclusão digital às áreas carentes: “As naves são um novo patamar de desenvolvimento local”, acredita o secretário, impressionado com informes dos monitores sobre a mistura de classes nos polos. Na de Padre Miguel, por exemplo, a presença de uma senhora que todos os dias parava na porta com seu carro importado, causou alvoroço. “Este é o caminho para que elas sejam elementos de disseminação do engajamento das pessoas”, diz Franklin. Hoje, o Rio tem oito naves.

O secretário municipal de Ciência e Tecnologia%2C Franklin Dias%2C anunciou a construção de três naves em 2015%3A Ricardo de Albuquerque%2C Jardim Bangu e Engenho de DentroAndré Balocco / Agência O Dia

Amor português

Oferecendo de alfabetização digital com banda larga a pesquisas em telas touch screen, as naves encantaram Alvaro. “As pessoas se incentivam a usar a tecnologia de acordo com suas necessidades”, diz. Ele explicou, na palestra, o conceito de smart-cities — redes de pessoas que interagem e se identificam através dos locais de convivência. “É o que acontece em Triagem.”

Apaixonado pelo Brasil, Álvaro diz ver, por todo o país, uma gigantesca capacidade de empreender. Para ele, o brasileiro é uma “usina de ideias” em constante produção, que precisa apenas de estrutura para colocá-las em prática. Por isso a identificação com a Nave de Triagem. “A nave entra dentro deste contexto, por ser um excelente polo de renovação”, conclui.

Um teto solidário

A ideia é simples: reunir quem deseja ajudar famílias necessitadas a ter suas casas. Desta maneira a ONG Teto já construiu milhares de residências em várias partes do mundo e planeja, em dezembro, erguer novas unidades em Caxias. Quem topar precisa doar R$ 5.500,00, para a compra de material, e a sua própria mão de obra. A ONG completa o orçamento.

Parceria do bem

A fome juntou-se à vontade de comer no Alemão. Com a ajuda dos artistas Tiago Tosh e Wallace Bidu, além de David Amen e Mário Bands, a Casas Bahia revitalizou o Beco do Peixeiro, ao lado de sua loja na Estrada do Itararé, Grota. O painel, do coletivo da ONG Raízes em Movimento, deu um colorido especial à inauguração da casa, esta semana.

Oficinas do Teatro do Oprimido na Maré

O Teatro do Oprimido está com inscrições abertas para oficinas na Maré. As turmas, distribuídas em quatro polos (Museu da Maré, Centro de Saúde Américo Veloso, Marcílio Dias e Observatório de Favelas) aprenderão, durante dois anos, a metodologia criada pelo dramaturgo Augusto Boal na década de 1970. O objetivo é discutir as problemáticas da Maré e, através do teatro, encontrar possíveis soluções. Informações: [email protected], pelos telefones 2232-5826 e 2215-0503 ou pelo site www.ctorio.org.br

Borel

A Jocum realiza hoje sua festa para as crianças da favela no Campo da Grota. A garotada vai poder brincar na cama elástica, tobogã e curtir recreação a partir das 16h.

Negócios sociais

O Sebrae prorrogou até o dia 2 as inscrições para sua maratona de negócios sociais, onde irá selecionar projetos nesta área para mostrar na Feira do Empreendedor do Rio.

Manguinhos em cena

‘Sintonia Suburbana’, da Companhia Manguinhos em Cena, se apresenta hoje, às 19h, na Biblioteca Parque Estadual (Avenida Presidente Vargas, 1261), com entrada franca.

Do Turano para a Tijuca

Hoje, o projeto ‘Arte é o Melhor Remédio’, do Turano, faz a alegria das crianças do Hospital Gaffrée e Guinle, referência no atendimento a portadores de HIV. Às 9h30.

Corrente pelo Bem

A ONG Corrente pelo Bem organiza bazar beneficente todas as quartas-feiras, das 13h às 21h, no Bar Villa Ipanema (Rua Vinícius de Moraes 53, Ipanema). A renda será revertida em donativos para moradores do antigo lixão de Jardim Gramacho, em Duque de Caxias.

Você pode gostar