Incêndios atingem parques no Rio

Parque Estadual da Serra da Tiririca, em Niterói, e Parque Natural Municipal do Morro da Baleia, em Queimados, tiveram as vegetações consumidas pelo fogo

Por nicolas.satriano

Rio - O sol forte e o clima seco trouxeram a ameaça de incêndios para parques do estado do Rio. Nesta terça-feira, dois deles, o Parque Estadual da Serra da Tiririca, em Niterói, e o Parque Natural Municipal do Morro da Baleia, no bairro Tri Campeão, em Queimados, precisaram receber a ação de forças-tarefa para combater as chamas que consumiam a vegetação. 

Na Serra da Tiririca, o fogo tenta ser controlado há pelo menos três dias e cerca de cinquenta agentes atuavam no combate às chamas. De acordo com estimativa do Corpo de Bombeiros, ao menos 15 hectares de vegetação rupestre, típica de costões rochosos, foram atingidos pelo fogo.

Apesar das chamas muito intensas no Morro da Baleia%2C agentes da Guarda Ambiental municipal conseguiram controlar as chamas no parqueDivulgação

Na tarde desta terça-feira, as equipes conseguiram controlar o incêndio, que chegou a ameaçar residências em Itacoatiara. A causa mais provável do fogo na região de Itacoatiara é a queda de um balão. O trabalho de combate está sendo realizado em dois focos, no Morro das Andorinhas e na região de Itacoatiara.

No Morro das Andorinhas, o fogo começou no princípio da noite de domingo, foi controlado, mas recomeçou nesta terça-feira. Em Itacoatiara, o fogo começou na noite de segunda-feira e, pela localização, a causa mais provável seria a queda de um balão, aliada à estiagem dos últimos dias.

Já no Morro da Baleia, agentes da Guarda Ambiental municipal conseguiram controlar as chamas no parque. Cerca de 30% da área, que mede aproximadamente três hectares, foi devastada pelo fogo. De acordo com a Secretaria Municipal do Ambiente, a hipótese de o incêndio ter sido provocado por terceiros não foi descartada. 

No período de estiagem, que vai de abril a outubro, com ventos mais frios e pouca umidade do ar, os balões alcançam maior altura e distância, e aumenta muito risco de provocarem incêndios florestais. Entretanto, de acordo com a legislação ambiental, provocar incêndio em florestas ou matas é um crime ambiental que pode acarretar penas de prisão de dois a quatro anos. Já a pena para quem fabricar, vender, transportar ou soltar balões é de um a três anos, ou multa de R$ 1 mil a R$ 10 mil, ou ambas as penas, conforme o caso.

Na Internet, frequentadores lamentam incêndio

"Vai fazer três dias que o fogo está se alastrando pela Serra da Tiririca e ninguém faz nada! Descaso e crime ambiental", escreveu uma internauta. Outra internauta disse que viu animais fugindo do local. "Cena muito triste", afirmou. No Twitter, uma usuária identificada como Soraia Carames postou uma foto que mostra uma nuvem de fumaça sobrevoando a Praia de Itaipu, em Niterói, que fica próxima ao parque.

A administração do Parque Estadual da Serra da Tiririca suspendeu a visitação na unidade nesta terça-feira, por causa da fumaça e do deslocamento dos guarda-parques, que atuam na orientação dos visitantes, para o combate ao incêndio.

Reportagem de Flora Castro

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia