Estação do BRT Transcarioca em Olaria sofre ação de vândalos

Local foi pichado e teve partes quebradas. Gastos com reparo do local são de R$ 11,7 mil, afirma consórcio

Por tiago.frederico

Rio - A estação do BRT Transcarioca Olaria – Cacique de Ramos foi totalmente pichada nesta semana. Vidros, bilheteria, os telões onde aparecerem os horários dos ônibus, catracas, paredes e caixas de som foram vandalizados na última segunda e terça-feira.

Entre xingamentos e siglas de facção de criminosa, o grupo, que tem atuado na região, deixou ainda recados: "Pode limpar. Eu pixo (sic)" ou "Pode tirar foto, c.". Na madrugada de quarta-feira, um homem encapuzado quebrou as câmeras do local. O caso foi registrado na 22ª DP (Penha). As imagens foram entregues pelo consórcio que administra o serviço à polícia.

Vândalos picharam toda a estação de OlariaDivulgação

Segundo o Consórcio BRT, para limpar a sujeira e substituir os adesivos foram gastos pelo menos R$ 11,7 mil. Em nota, o consórcio afirmou que "quem perde com os atos de vandalismo é o passageiro e os moradores e comerciantes de Olaria". Cerca de 3,2 mil usuários do BRT Rio passam diariamente no local.

Vandalismo custa R$ 150 mil por mês

O consórcio afirma que gasta, mensalmente, R$ 150 mil só para reparar ações de vândalos cometidas nas estações. Entre os problemas mais comuns estão portas, lixeiras, banco de esperas e vidros quebrados; pichações; peças roubadas; máquinas de recargas vandalizadas; componentes elétricos e mecânicos danificados. Os telões também são alvo dos vândalos, que atacam também as máquinas de refrigerantes e as placas de sinalização.

Ainda de acordo com o consórcio, em alguns casos, o valor para recuperar uma estação é o dobro do gasto mensal. Em Santa Cruz, com a Cesarão II, que foi incendiada, em 2014, o consórcio diz que gastou R$ 350 mil. No mesmo bairro, a Cesarão I já foi parcialmente 'remontada' quatro vezes. Em cada uma delas, o BRT afirma ter investido R$ 70 mil. A estação Vila Paciência foi reformada pela Prefeitura. Depois de ser reconstruída, os equipamentos foram furtados por mais de uma ocasião, inviabilizando sua abertura.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia