Gastronomia: E que vença o famoso croquete da Casa do Alemão

Pedro Landim fala sobre as especiarias de um cantinho na Rodovia Presidente Dutra, em São João de Meriti

Por ramon.tadeu

Rio - No dia em que mais um campeão do mundo levantará a cobiçada taça dourada, no Maracanã, nomes como Klose, Müller e Schweinsteiger recebem na Via Dutra a companhia dos craques Apfelstrudel (a torta), Bratwurst (a salsicha) e Stephan Kern, o alemão fugido da 2ª Guerra que veio fabricar embutidos no Brasil e acabou fundando a Casa do Alemão, negócio que está prestes a completar 70 anos nas mãos da mesma família — sólido como a seleção que meteu sete na turma do Felipão.

Quem não mentaliza o mais famoso croquete do Brasil ao passar pelo início da rodovia, na altura de São João de Meriti? Um pensamento cremoso por dentro e com a casquinha crocante por fora, um dos salgados mais imitados da praça embora seu tempero e consistência permaneçam únicos nas nove lojas da rede que alcança pontos distintos do estado.

O pão com linguiça é um dos quitutes concorridos na DutraDivulgação

O berço das delícias, porém, está no friozinho da serra de Petrópolis, onde Kern e Julka, sua mulher, doceira de primeira linha, conheceram a família Fontaine, sócia na tradicional Panificação Quitandinha, já famosa na época por seus biscoitos amanteigados. São eles que até hoje estão à frente da produção, e não adianta perguntar por segredos e receitas porque os mesmos estão guardados a sete gols, quer dizer, sete chaves.

“Mantemos o modelo artesanal de produção e o alto nível de qualidade das matérias primas”, diz Daniele Fontaine, terceira geração da família, baseada na matriz petropolitana.

O nome Kern, por sua vez, é conhecido de quem frequenta os salões do Alemão, estampado nas embalagens de produtos como salsichão, joelho, carré e lombinho de porco, lagarto defumado, língua, patê e linguiça, vendidos a peso para viagem ou consumidos no salão. A última citada é protagonista de um cachorro-quente que rivaliza em fama com o croquete, vendido a R$ 9,90, com acréscimo de R$ 2,50 na versão com queijo.

Além do clássico de carne (R$ 5,30), há o croquete de frango pelo mesmo preço, e também o mais recente sabor bacalhau (R$ 5,80). O apfelstrudel (R$ 5,80), conhecida torta de maçã, segue a tradição alemã e tem a massa folhada aberta à mão, com o creme de baunilha adicionado apenas na hora de servir para manter a textura crocante. A receita é de família, assim como a dos biscoitos amanteigados sortidos. E que vença a Alemanha, com todo respeito ao bife de chorizo e o doce de leite.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia