Bom papo, bom gosto

Chrurrasquinho do Jorge oferece espetinhos e outras delícias

Por nicolas.satriano

O verão acabou, mas, na Rua da Lama, reduto da boemia iguaçuana, não há tempo ruim para brindar à amizade. Pelo menos uma vez por semana as amigas Márcia Rita Gouveia, 52 anos, e Amanda Batista, 39, dão um pulo no Churrasquinho do Jorge (Rua Luiz Sobral 440, Centro, Nova Iguaçu, tel.: 2667-3025) com um objetivo: colocar atualizar o papo depois de um dia cansativo de trabalho. De acompanhamento, não abrem mão da cervejinha gelada.

A origem do apelido do famoso point de bares e restaurantes não é consenso.
Subgerente do Churrasquinho do Jorge, Severino de Pontes, 45 anos, diz que a alcunha surgiu devido aos transtornos das chuvas de outrora. “Quando a rua era de barro, ficava uma lama só.” Já Marcia, frequentadora antiga, revela o lado ruim da história: “Antigamente, havia muitas casas noturnas na região. As pessoas saíam chapadas das boates e vinham para cá tomar a ‘saideira’. Todo mundo já chegava ‘na lama’, acabado. Ninguém era feio depois de 5h!”, conta.

Picanha com molho à campanha%2C farofa de ovos%2C fritas%2C arroz%2C feijão tropeiro e palmito é uma das sugestõesCarlos Moraes / Agência O Dia

O Churrasquinho do Jorge vende espetinhos, mas também tem petiscos, como o camarão ao alho e óleo, que tem feito sucesso. Há pratos de jantar, como churrasco misto. A casa abre às 17h e serve almoço apenas aos domingos.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia