Um Pouco de História: vias para ocupação da Baixada

A região era cortada pelas Estradas de Ferro Pedro II, Rio D'Ouro e Leopoldina Railway

Por marcelle.abreu

Ao completar 450 anos este ano, vamos repensar o processo de ocupação da Baixada Fluminense ou Recôncavo da Guanabara, considerando o ano de 1565 como o início da doação das primeiras sesmarias após a expulsão dos franceses do Rio de Janeiro. A ligação do Rio com a Baixada inicialmente se fazia pelos rios Meriti, Sarapuí, Iguassú, Inhomirim-Estrela e Magepe, então navegáveis. Algo que continuou até a chegada da locomotiva. Nesta fase criaram alguns caminhos que, saindo do Rio de Janeiro ou do interior, traçavam a Baixada. Essas pequenas estradas interligavam as propriedades com as freguesias e o ponto de encontro comum para a capital era a Pavuna, melhor local para travessia de tropas, porque ali o rio tinha menor profundidade.

Ferrovia margeando a Rua Doutor Plínio Casado - 1931Divulgação

A Pavuna era o ponto de encontro das tropas que vinham do interior para o Rio de Janeiro e vice-versa. Dirigindo-se ao Rio, a geografia da época mandava seguir por Colégio até Benfica. Da Pavuna para a Baixada, entrava-se em São João de Meriti e se espalhava por três caminhos: a Estrada de Minas, a estrada da Fazenda São Matheus e a Estrada da Polícia construída em 1820 em direção a Belford Roxo e d´ai galgando a Serra do Mar em direção a Vassouras.

O ano de 1858 marca em definitivo o uso do transporte ferroviário e, a partir dele e com ele, promover as grandes mudanças nos eixos de ocupação urbana. A ferrovia possuía a excelência até então almejada àquela época. Um meio eficaz e rápido para transporte de grandes volumes e de passageiros para suas compras na Capital do Império. A locomotiva promoveu as grandes mudanças que a segunda metade do século XIX esperava, em razão dos benefícios revolucionários dos meios de transporte na Europa e Estados Unidos.

A Baixada era cortada pelas Estradas de Ferro Pedro II, Rio D´Ouro e Leopoldina Railway e mais alguns ramais auxiliares. Com exceção da Leopoldina Railway que cortava Duque de Caxias as demais seguiam por Meriti via Pavuna. Como local de moradia, a população acompanhou estas mudanças aí se fixando as mais antigas ocupações estão aí localizadas.

O presidente Washington Luiz ao assumir adota como lema de seu mandato “governar é construir estradas". Algo que se materializou em 25 de agosto de 1928, com a inauguração da Rio-Petrópolis, a primeira rodovia asfaltada do país. Até então, a ligação entre a capital federal e a cidade imperial era feita por caminhos de terra que ficavam intransitáveis após temporais. Nos anos de 1950 construiu-se a Rodovia do Contorno, depois chamada Rodovia Washington Luiz, e abandonou-se a Rio- Petrópolis. Em 19 de janeiro de 1951 foi inaugurada a Rodovia Presidente Dutra.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia