Cursos técnicos abrem portas do mercado

Supletivos são opção para quem não concluiu os estudos

Por aline.cavalcante

A moradora do bairro Itatiaia, em Duque de Caxias, Luciana de Lima, 44 anos, é uma lutadora. Ela trabalha como costureira e faz supletivo do ensino médio à noite para conseguir realizar seu sonho: ser uma nutricionista. “Estudar aumenta minhas chances no mercado de trabalho, pois eu não tenho como concorrer a vagas sem instrução. Mas já me imagino vencedora num futuro próximo, ao ser aprovada para uma universidade e melhorar minha vida radicalmente”, profetiza.

Luciana de Lima%2C de Caxias%2C estuda à noite porque trabalha com costuraRENATO FONSECA


“A Baixada tem um potencial muito grande devido à ascensão econômica das classes C, D e E. Isso ajuda a desmistificar as dificuldades de os alunos retornarem à sala de aula”, afirma Henrique Simões, diretor do polo Duque de Caxias do Colégio IPA - Instituto Paulo Apóstolo (Av. Gov. Leonel de Moura Brizola 1490, 2º andar, tel.: 2671-9585).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia