Por helio.almeida

Sônia Sthoffel, a Soninha, como é conhecida a secretária municipal de Governo de Magé, faz um balanço de sua trajetória política e do trabalho que desenvolve na gestão do prefeito Nestor Vidal. Nascida e criada em Piabetá, no sexto distrito do município, ela, que o acompanha desde a campanha à eleição, em 2011, diz que está encerrando um ciclo e prepara-se para enfrentar novas etapas e desafios em 2014. “Foram muitas as dificuldades no início do governo. Tenho certeza que estamos no rumo certo para construir uma cidade mais justa”.

Sônia%3A 'Parcerias com os governos federal e estadual trouxeram muitos benefícios'Divulgação

Os moradores de Magé ainda enfrentam dificuldades para conseguir empregos dentro do município. Qual a perspectiva de criar novas oportunidades para os trabalhadores da região?
cretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio e a de Trabalho e Geração de Renda têm feito uma grande articulação para mobilizar as empresas, atrair novos empreendimentos e encaminhar os profissionais da região. Mas, paralelo a isso, a prefeitura está organizando a cidade, criando espaços de mobilidade urbana, como as ciclovias e o passeio público na Dr. Siqueira, que privilegia o pedestre. Além disso, há os cuidados com a limpeza, calçamentos, arborização das ruas, para que a cidade fique cada vez mais bonita e atraente. Uma cidade organizada e bonita atrai qualquer investidor, donos de grandes empresas, lojas ou shoppings. São iniciativas que promovem o crescimento da cidade e ajuda a gerar empregos.

A senhora acredita que hoje, em termos políticos, existe um novo olhar em relação ao município? As parcerias consolidadas pelo governo de Nestor Vidal contribuíram para essa projeção positiva?
Sim. Hoje o município de Magé respira liberdade. Temos liberdade de escolha, liberdade de expressão. Isso não existia aqui. Políticos de fora não tinham abertura nem mesmo para discutir as necessidades da população. Por isso não existia parceria. Já no ano passado, fomos o segundo município do estado a receber o maior volume de emendas parlamentares. As parcerias que fizemos com os governos federal e estadual trouxeram muitos benefícios para a cidade. Também estamos sendo surpreendidos com visitas ilustres: no ano passado, recebemos o príncipe do Benim (país da África Ocidental), interessado na história do município que vai completar 449 anos. Estamos recepcionando, agora, uma comitiva internacional do Banco Mundial, para conhecer nossas experiências bem-sucedidas nas áreas social e agrícola.

Quais foram as principais conquistas dessas parcerias?
Com o governo estadual, conseguimos a UPA 24 Horas de Piabetá, a Delegacia Legal, o Centro Vocacional Tecnológico (CVT), no centro de Magé e em Piabetá, Asfalto na Porta, Bairro Novo e o Programa Renda Melhor. Do governo federal, temos obras do PAC, Minha Casa Minha Vida e o Pronatec. Um detalhe: Magé se destacou como o primeiro do ranking estadual em numero de inscrições de candidatos no Pronatec. São conquistas importantes de boas parcerias que queremos e vamos manter.

A senhora, que entrou para a política com a esperança de mudar um quadro político opressor, que se estendia por anos em Magé, continua confiante de que a política séria e competente é capaz de transformar a vida das pessoas para melhor?
O político não pode tratar a população como um número, pensando em quantos votos uma pessoa pode conseguir para ele se eleger. E ninguém pode aceitar ser usado dessa forma. Voto não é objeto de troca. Minha identificação com o Nestor (Vidal) foi justamente nesse ponto. Ele pensa no bem-estar das pessoas, no benefício que a população vai receber com os parceiros que querem investir na cidade. O parceiro é do município e não do prefeito. Esse pensamento é o que deve nortear a política do município daqui para a frente.

Você pode gostar