Joias do Rio: Um colosso em plena Mata Atlântica

Fábrica do Conhecimento figura em qualquer lista dos mais incríveis prédios fluminenses

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - A Fábrica do Conhecimento figura em qualquer lista dos mais incríveis prédios fluminenses. Inaugurada com alvará da Princesa Isabel em 1871, a fábrica têxtil Brasil Industrial recebeu visitas do próprio Dom Pedro II. Em torno dela cresceram os povoados que formariam, só em 1953, o município de Paracambi. Fechou as portas em 1984, e a partir de 2001 o prédio foi destinado à mais nobre das missões: educar.

Ainda mais bela do que este colosso em estilo inglês, tombado pelo Inepac, é a história das vidas construídas entre suas paredes robustas e avermelhadas. Nove mil alunos passam por ano pelas unidades escolares e culturais dos governos federal, estadual e municipal, que dividem as instalações. A Faetec, federal, é o principal mantenedor. No primeiro ano do projeto, apenas dois alunos de Paracambi entraram nos seletos cursos técnicos da Faetec. A prefeitura lançou então o Pré-Técnico, um nono ano do Ensino Fundamental, para mudar o jogo. E mudou muito. A média atual é de 70 a 80 paracambienses entre as 120 vagas federais. O esforço foi fundamental para que, apesar de seus recursos humildes, a cidade alcançasse o quinto lugar do estado no Ideb. Um orgulho.

Só o prédio principal da Fábrica do Conhecimento tem 4 mil metros quadrados%3A aluno que não acaba maisAziz Filho / Agência O Dia

A migração de trabalhadores de Minas Gerais para a indústria têxtil durante um século tornou Paracambi a cidade com maior percentual de mineiros no Rio. Entre eles estavam os pais do prefeito Tarciso Gonçalves Pessoa. Jovens, se conheceram na fábrica, casaram-se e tiveram três filhos, operários. Tarciso diz que trabalhou na Brasil Industrial aos 14 anos. Hoje, tem 53. A filha estuda balé na Fábrica do Conhecimento, com colegas de todas as classes sociais.

“Antes o operário só entrava para trabalhar, e hoje vai estudar e se divertir no Festival de Cinema ou no Teatro Multimídia. Temos uma fábrica de igualdades”, define o prefeito. No local fica ainda a sede do Clube de Futebol Brasil Industrial, que fez 102 anos neste sábado.

O turista que visitar a construção terá outro passeio obrigatório para fazer em Paracambi em pouco tempo. Está para ser lançada a licitação para o Parque Municipal do Curió, imensa área de Mata Atlântica colada à fábrica. Terá pousada, restaurante e trilhas com placas para cachoeiras. Sabe nada quem pensa que turismo não combina com Baixada Fluminense.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia