Verão sem luz e água na na Região dos Lagos está com dias contados

MP-RJ dá prazo de 60 dias para Ampla e Prolagos regularizarem o abastecimento

Por tabata.uchoa

Rio - Acrônica falta d’água e as quedas constantes de energia elétrica que costumam causar dor de cabeça para moradores e frequentadores da Região dos Lagos, principalmente no verão e nos feriados prolongados, estão com os dias contados. A 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Cabo Frio recomendou que a Prolagos e a Ampla, responsáveis pelo abastecimento, elaborem e apresentem, em até 60 dias, planos de contingência para evitar que esses problemas se repitam.

No início deste ano, o Ministério Público do Estado recebeu várias reclamações sobre escassez de água e interrupções no fornecimento de energia. Alguns consumidores denunciaram que os problemas chegaram a durar duas semanas. A partir daí, foi instaurado inquérito civil para descobrir o que ocasionou as falhas na prestação de serviço de abastecimento nos municípios de Cabo Frio, Armação dos Búzios e Arraial do Cabo.

Em Barra Mansa%2C empresa de abastecimento iniciou operação de fiscalização para evitar os furtos de águaCris Oliveira / Divulgação

As concessionárias alegam que, além de problemas como a ruptura de uma adutora em São Pedro da Aldeia e a queda de um poste, a falta de água e de luz teria ocorrido devido ao aumento da população da região no período de alta temporada, entre os meses de dezembro a fevereiro. Em nota, o MP argumenta que “a elevação do consumo devido à sazonalidade da população é um fator previsível e cabe às concessionárias se prepararem previamente para o verão”.

Moradora do Rio e proprietária de uma casa próxima à Praia do Anjos, em Arraial do Cabo, a funcionária pública Eliane dos Santos, de 64 anos, diz que o problema é constante. “Tenho esse imóvel há 30 anos e sempre sofri com a falta de água e energia elétrica no verão e nos feriados. Tive até que construir um poço artesiano para a situação melhorar. Quem não tem condições de fazer isso, continua com essa preocupação”, afirmou. Para Eliane, se forem tomadas algumas medidas para acabar com esse contratempo, as cidades podem prosperar.

Concessionárias preparam plano conjunto

Em nota, a Ampla informou que está reforçando o número de equipes para atendimento ao crescimento de clientes da região. A empresa vai “modernizar e ampliar a rede elétrica, instalar novos equipamentos de proteção, expandir as subestações, além de podar árvores.” A nota diz ainda que até o fim deste ano serão substituídos na região cerca de 30 quilômetros de rede comum por rede compacta, mais resistente a vendavais e ao contato da vegetação e pipas.

Após se reunir com MP e Ampla, a Prolagos garantiu que apresentará o plano de contingência no prazo estabelecido, mas não explicou as ações concretas que tomará para melhorar o abastecimento. Em nota, a empresa informou que projetos com medidas conjuntas entre as duas concessionárias trarão resultados positivos para a região, já que “depende do fornecimento de energia elétrica para a produção e distribuição de água para os municípios da área de concessão”.

Barra Mansa reprime ‘gato’

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barra Mansa (Saae BM) está aumentando a fiscalização de furtos de água, os chamados “gatos”. O resultado pode ser constatado no aumento no número de cortes no abastecimento: de janeiro a julho, foram 2.399, cerca de 200% a mais do que em 2013, quando houve 807 interrupções. Em julho deste ano, foram feitos 660 cortes, 25% por furto de água.

O diretor executivo do Saae BM, Horácio Guimarães Delgado disse que o objetivo é reduzir a diferença do que é produzido pelo o que é medido na soma de todos os hidrômetros. “A meta é atingir 30% de perdas. Nossa realidade não nos permite atingir uma média menor que essa. Além das perdas por fraudes com ‘gatos’, temos ainda as perdas físicas, por vazamento, e de medição, quando o hidrômetro perde a aferição”, concluiu.

Uma das ações tomadas para diminuir as perdas foi a troca de hidrômetros antigos. De janeiro de 2013 a julho deste ano, foram substituídos 10 mil hidrômetros no município. Outra medida foi a concessão de gratificação especial aos funcionários que identificarem fraudes ou ligações clandestinas.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia