Agência descarta crise hídrica em Resende

“Vazão da Represa de Funil é o suficiente para garantir nossa captação”, diz presidente da Sanear

Por vinicius.amparo

Resende (RJ) - Em audiência pública nesta última quarta-feira (25), o presidente da Agência de Saneamento de Resende (Sanear), José Renato de Carvalho, afastou a possibilidade de o município sofrer com racionamento de água, já que, segundo ele, o município tem condições favoráveis devido à localização geográfica e também a tecnologia do sistema de captação.

"Podemos garantir que não vivemos, atualmente, uma situação alarmante para termos, por exemplo, um racionamento, pois o volume regulamentado de vazão da Represa de Funil é o suficiente para garantir nossa captação. Mas é preocupante por conta do que podemos esperar para o futuro" disse José Renato.

Conforme explicou o presidente, a proximidade para a Represa de Funil é uma garantia de abastecimento para o Município, já que atualmente a captação representa apenas 0,35% do volume do Rio Paraíba do Sul. “A empresa concessionária capta hoje 83 metros cúbicos de água por segundo, através de um sistema fixo e também com possibilidade dele ser flutuante no rio. Estamos fixando uma meta também de redução de perdas na distribuição para no máximo 25%”, completou José Renato.

Durante a audiência, o diretor de operações das Centrais Elétricas de Furnas, Jorge Florentino, divulgou que atualmente o nível da represa está em 53% de sua capacidade, com uma vazão de 80 metros cúbicos por segundo. “Temos, a partir de agora, um período longo de estiagem, e as usinas hidroelétricas acima estão com capacidade de 11%, mas seguimos os acordos que garantem essa vazão, que garante a sustentação da população”, afirmou Florentino.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia