Itaboraí recebe novas empresas

Comércio e serviços continuam atraindo investimentos, apesar da crise do Comperj

Por paulo.gomes

Salão de beleza abre unidade na quarta-feira e espera 2%2C2 mil clientes/mêsDivulgação

Rio - Para quem pensa que a economia de Itaboraí, com a crise do Comperj, está às moscas, na quarta-feira desembarca mais uma grande marca na cidade. O Instituto Beleza Natural, rede especializada em cabelos crespos e ondulados, abre oficialmente no Itaboraí Plaza Shopping a sua 18ª unidade no estado. O salão tem capacidade para atender uma média de 2.200 clientes por mês, além de gerar cerca de 100 empregos diretos.

Inaugurado há dois meses e ainda com fraco movimento, o shopping já reúne redes varejistas como Riachuelo, Renner, C&A, Casas Bahia, Lojas Americanas, Kalunga, Casa Center, Lojas Giro e Ri Happy. A esperada abertura de um cinema, com 10 salas, também promete dar mais vida ao local, suprindo uma carência de opções culturais na região. Em breve, uma nova rede de supermercados vai se instalar ali, gerando mais 250 empregos. Outra rede de supermercados, a Costa Azul, escolheu a cidade para instalar recentemente a sua primeira filial no estado, criando 300 empregos.

A decisão do Beleza Natural de investir em Itaboraí, apesar do aparente fiasco do Comperj, foi apontada em um estudo de geomarketing. “Nossa decisão de ir para a cidade tinha associação com o Comperj, pelo movimento que gerava, mas continuamos acreditando no potencial da região”, afirma Rogério Assis, vice-presidente e sócio-fundador da rede.

Segundo ele, a cidade foi escolhida por ter uma alta demanda de clientes e ainda ser um importante ponto de atração para caravanas de clientes vindas da Região dos Lagos. Estima-se que 10 ônibus, com mais de 400 clientes, cheguem todo mês, vindos de cidades como Macaé, Araruama, Saquarema e Cabo Frio.

A prefeitura está apostando também na criação de novos negócios. Em maio, entre 18 e 21, a prefeitura vai promover sua primeira rodada de negócios com apoio do Sebrae. São esperadas 300 micro e pequenas empresas.

Abertura de negócios é facilitada

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Integração com o Comperj, Luiz Fernando Guimarães, falta em Itaboraí o “espírito empreendedor”. “Aqui, as pessoas pensam muito em trabalhar para alguém, mas não para si mesmas”, diz ele, que criou um projeto batizado de ‘Além Comperj’, com medidas que ajudem a quebrar uma possível dependência dos investimentos gerados pelo complexo.

Uma das iniciativas é o Centro do Empreendedor, para facilitar a instalação de novos negócios. Em pouco mais de cinco meses, a unidade já fez mais de 600 atendimentos e liberou cerca de 200 novos alvarás de funcionamento. Hoje um alvará é emitido em 48 horas, o que antes levava até três meses.

O carioca Jorge Vidal Pastoriza recorreu ao serviço para vencer a burocracia e abrir uma empresa de aluguel de ambulâncias. “Nosso principal foco foi o interesse no crescimento da cidade. O problema é que não está dando lucro, estamos só mantendo”, diz ele, que pretende agora abrir uma loteria. “Só existe uma aqui. Acredito na cidade. Esse novo negócio ainda vai me render bons frutos”.

Colaboração de Vinícius Amparo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia