Festa do Divino de Paraty mistura o sagrado e o profano

Evento tombado como patrimônio reúne moradores e turistas durante dez dias e movimenta economia na baixa temporada

Por nicolas.satriano

Rio - Com as ruas repletas de bandeirinhas vermelhas e brancas, um cortejo de mascarados celebra a tradição religiosa pelas ruas de Paraty, na Costa Verde. A cena se repete a cada ano, 50 dias após a Páscoa, desde a fundação da cidade, há mais de 300 anos. É a Festa do Divino, que começa hoje e promete aquecer o comércio e a rede hoteleira por 10 dias.

Criada por portugueses que colonizaram a região, a festa é considerada Patrimônio Imaterial Brasileiro pelo Iphan. A programação inclui desde missas e procissões, até shows musicais e de danças típicas da região. Uma grande quermesse, com gincanas, rifas, leilões, bingos e barracas de bebidas e comidas, toma conta da Praça da Matriz.

Uma grande quermesse é montada na Praça da Matriz para receber procissão de mascarados pelas ruasDivulgação

De acordo com o secretário de Turismo Wladimir Santander, a festa é importante “para sustentar a economia, principalmente por acontecer na baixa temporada”. Para os turistas, pousadas investem em pacotes para todos os dias ou só nos finais de semana. “Desta forma, conseguimos atrair e prolongar a estadia por mais tempo”, explica Adriano Lemos, gerente da Pousada Porto Imperial.

Responsável pelo polo gastronômico da festa, Rosana Ribeiro, de 46 anos, promete um cardápio divino e profano. “A calabresa virou tradição na festa, além de produtos da região como camarão, mandioca, palmito. Tem toda uma tradição. Primeiro a religiosidade, depois a parte profana, com muita comida e música”, garante ela.

A festa conta ainda com distribuição de carnes aos pobres, ritual realizado pela Rainha Isabel há 700 anos. Também são oferecidas balas e doces às crianças e comida ao povo. Este ano, o ato acontece no dia 24. O ponto alto é a coroação de um adolescente da comunidade como ‘Imperador do Divino’. A programação este ano conta ainda com DJs e shows de bandas como a Bicho de Pé e o grupo Art Popular. Tudo de graça.

Na Trilha do Rock vai agitar Piabas

A partir de hoje, há um bom motivo para pegar a estrada em direção a Ipiabas, em Barra do Piraí, atrás de um bom rock’n roll. É o primeiro dia do projeto Na Trilha do Rock, circuito de música e gastronomia que vai até julho no distrito.

Serão dois festivais artísticos: Rock in Cover Ipiabas e Ipiabas Blues &Jazz Festival. O primeiro vai até este domingo, com covers de grandes artistas e bandas locais prestando homenagem a ícones do rock. De 4 a 7 de junho, terá início a quinta edição do Ipiabas Blues & Jazz Festival, uma seleção de artistas nacionais e internacionais. Os shows são gratuitos na Estação de Ipiabas.

“A rede de hospedagem está com 100% de lotação. E os restaurantes abraçaram a ideia com pratos temáticos. A proposta é criar uma identidade para Ipiabas com o Rock e Blues”, disse diretor do Turismo do município, Sérgio Nóbrega.

Agende-se

PETISCOS
Amanhã, a partir das 7h, Búzios recebe o evento ‘Botequim na Feira’. Haverá degustação de pratos típicos, como ovos coloridos, bobó de camarão, linguiça e aipim frito. Os músicos do Clube do Choro de Búzios vão se apresentar.

FUNK EM S. PEDRO
Neste fim de semana três cidades festejam aniversário: Nova Friburgo, Arraial do Cabo e São Pedro da Aldeia, Para comemorar o 398º ano de fundação, São Pedro promove show do cantor Naldo Benny, a partir das 22h, na Praça da Matriz.

CULTURA NO MUSEU
Até o próximo dia 24, o Museu Casa de Casimiro de Abreu oferece apresentação de coral, exposições e palestras, com o tema “Museus para uma sociedade sustentável”. De graça.

Reportagem de Lucas Gayoso

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia