Risco de estiagem e incêndio no estado

Estudo mapeia ameaças climatológicas em municípios do Rio de Janeiro e mobiliza defesas civis

Por nicolas.satriano

Rio - Na Semana do Meio Ambiente, uma notícia preocupante. Mais de metade (54%) dos 92 municípios fluminenses apresentam elevado risco de sofrer incêndios florestais. Do total, 34% podem ainda ser fortemente castigados pela estiagem, que já trouxe grandes prejuízos desde o início do ano passado para agricultores e pecuaristas. O perigo é medido no Mapa das Ameaças Climatológicas do Estado do Rio, lançado ontem pela Secretaria estadual de Defesa Civil.

A ferramenta classifica as cidades em cinco categorias de risco: leve, médio, alto, muito alto e severo. Silva Jardim, Itaboraí, Araruama e Nova Friburgo apresentam risco elevado de incêndios florestais, enquantoPetrópolis indica risco muito alto, Teresópolis, risco médio e Duque de Caxias, risco baixo. Já municípios como Miracema, Cambuci e São Fidélis e Campos dos Goytacazes têm risco elevado de estiagem. Cardoso Moreira tem risco alto e São João da Barra, risco médio.

Ameaças climatológicas são mapeadas em municípios e mobiliza defesas civisArte O Dia

Para o coronel Paulo Renato Vaz, diretor geral do Departamento de Defesa Civil, o mapa ajuda a antecipar desastres e prevenir as consequências. “Tão importante quanto conhecer o risco de desastres naturais, é tomar medidas para tentar amenizá-los”, disse. Em parceria com 86 defesas civis do interior e da Região Metropolitana, foram criados 168 planos de contigência para enfrentrar essas ameaças. “Vamos colocá-los em prática nos próximos 20 dias, bem no início do inverno.”

O chefe do Parque Natural de Nova Iguaçu, Edgar Martins, faz um alerta aos moradores sobre o período de estiagem que favorece a ocorrência de queimadas. “De junho até outubro é preciso redobrar a atenção, pois a época é de seca. A represa já baixou 40 centímetros. As pessoas precisam evitar queimar lixo próximo à mata”. Na quinta-feira passada, oito hectares da Serra de Madureira, no entorno do parque, foram destruídos. Agentes da Guarda Ambiental levaram seis horas para debelar as chamas. Há suspeitas de que o incêndio foi criminoso.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia