Macaé vai cortar 25% dos comissionados

Prefeitura instala Gabinete de Crise para avaliar cortes de um quarto do orçamento do município

Por rosayne.macedo

Maxaé (RJ) - Uma das cidades que mais sofrem no Estado do Rio com a crise do petróleo, Macaé vai cortar 25% dos cargos comissionados a partir de 1º de fevereiro. A medida é uma das anunciadas pelo prefeito Aluízio dos Santos Júnior, o Dr. Aluízio, para o enfrentamento da crise econômica que afeta diretamente o município com a queda do preço do barril do petróleo e a diminuição dos investimentos da Petrobras. Nesta quarta-feira (27), ele se reúne com representantes de instituições de classe e da sociedade civil organizada para a instituição de um Gabinete de Crise.

Estudos estão sendo realizados pela Comissão Especial de Programação Financeira (Cofin) da prefeitura para reduzir os orçamentos de secretarias e órgão municipais em 25%. "Medidas já estão sendo adotadas pelo governo municipal desde a instalação da crise, mas, precisamos ir além, continuar diminuindo custos e manter recursos em áreas prioritárias", afirmou o prefeito, ao destacar que o cenário desafiador requer união de esforços para que os impactos sentidos pela população sejam minimizados. 

Estão sendo convidadas a fazer parte do Gabinete de Crise as seguintes instituições: Associação Comercial e Industrial de Macaé (Acim); Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan); Petrobras; Associação Médica; Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-Macaé); Universidades; Câmara Municipal e Federação de Associação de Moradores de Macaé (Famma).



Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia