Roupas usadas viram créditos em concessionária de Niterói

Projeto é uma parceria do brechó Repassa com a SGA Toyota

Por O Dia

 Repassa foi criado para reduzir os impactos da indústria da moda no meio ambiente
Repassa foi criado para reduzir os impactos da indústria da moda no meio ambiente -

O projeto "Parceiros do Bem" vai transformar roupas usadas em créditos para serviços de manutenção de automóveis. A iniciativa é uma parceria da Repassa - startup de moda consciente e maior brechó online do Brasil - e da concessionária SGA Toyota de Niterói. A campanha, que começou em setembro, deve chegar às outras 80 concessionárias do Grupo Líder, até 2021.

Na unidade de Niterói - que se destaca por sua atuação em prol da sustentabilidade e engajamento com as causas socioambientais -, foi implantado um box do Repassa, em que os clientes poderão retirar uma Sacola do Bem para armazenar as roupas usadas que serão transportadas à sede do brechó, em São Paulo.

A sacola cheia pode ser deixada de volta na estrutura do Repassa dentro da concessionária, ou enviada pelos Correios com o código de postagem disponibilizado pelo brechó. O cliente receberá 60% do valor de venda das peças que repassou, assim que elas forem vendidas no site. O envio das peças pode ser solicitado no site www.repassa.com.br/sacoladobem.

Com o valor recebido, o consumidor pode pagar serviços de manutenção para o automóvel na concessionária e doar para o projeto Vou de Canoa, idealizado pela escola de canoa polinésia Itaipu Surf Hoe, que conta com o apoio da Fundação Toyota do Brasil e da SGA Toyota Niterói. A escola leva conhecimento a crianças e jovens, gerando valorização e identidade com o bioma onde vivem de forma simples.

"Dar mais ciclos de vida para as nossas roupas é a forma mais eficiente de diminuir o impacto ambiental. Além de vender roupas de segunda mão, também disponibilizamos uma plataforma de soluções paras incluir players de segmentos diversos, inclusive fora da moda, como é o caso da SGA Toyota, nesse ecossistema do bem, sempre tendo a roupa usada como moeda de troca", explica Tadeu Almeida, fundador e CEO do Repassa.

Criado pelo empresário Tadeu Almeida em 2015, o Repassa já economizou mais de 553 milhões de litros de água, evitou que 2,4 toneladas de CO2 fossem emitidas e 13 milhões de Kw/h de energia economizados. Desde o início da operação, a start up já recebeu mais de R$ 10 milhões de aportes provenientes de grandes corporações e investidores-anjos.

O Repassa foi criado para reduzir os impactos da indústria da moda no meio ambiente, já que o segmento têxtil é responsável por 20% da poluição da água do planeta. Nos últimos três anos, a venda de roupas de segunda mão cresceu 21 vezes mais rápido do que o varejo tradicional de moda, com projeção de alcançar 1,5 vez o tamanho do mercado de fast fashion até 2028.

A startup também se uniu ao "Doar Fashion", evento beneficente carioca realizado anualmente para reverter apoio a organizações sociais. Devido a pandemia, o evento será transformado em uma vitrine na loja online do Repassa, com 100% do valor de vendas revertido para cerca de 21 Organizações Não Governamentais (ONGs).

Galeria de Fotos

Repassa foi criado para reduzir os impactos da indústria da moda no meio ambiente Divulgação/Repassa
Cliente receberá 60% do valor de venda das peças que repassou Divulgação/Repassa
Com o valor recebido, consumidor pode pagar serviços de manutenção para seu automóvel Divulgação/Repassa
Cliente receberá 60% do valor de venda das peças que repassou Divulgação/Repassa
Repassa foi criado para reduzir os impactos da indústria da moda no meio ambiente Divulgação/Repassa

Comentários