Mais Lidas

Into começa a operar crianças pelo SUS

Bebês afetados pela zika na gestação fizeram fisioterapia no IFF

Por leandro.eiro

Rio - O Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into), do Ministério da Saúde no Rio, começa a fazer cirurgias pelo SUS nos bebês com a Síndrome Congênita Associada à Infecção pelo vírus Zika, que apresentam também problemas ortopédicos graves nos pés, pernas, quadris e mãos.

A estreante é Eloá de Santana Silva Fidelis, com 1 ano e 7 meses e duas cirurgias já concluídas. Ela se recupera bem em casa. Outros seis bebês nessa faixa etária são preparados para cirurgias corretivas no instituto.

A Síndrome Congênita Associada à Infecção pelo vírus Zika atingiu, a partir de 2015, bebês cujas mães haviam contraído a doença ou manifestado sintomas de zika na gestação. Eloá nasceu com as pernas praticamente dobradas sobre o peito, provocando choro da criança ao trocar fraldas.

Ela e um grupo de bebês com problemas ortopédicos fizeram parte de um projeto-piloto de fisioterapia pré-cirúrgica no Instituto Fernandes Figueira (IFF), da Fiocruz. Eloá operou os dois pés em junho e os quadris em julho. Com as sessões de fisioterapia, seu médico já prevê que ela possa não precisar voltar ao centro cirúrgico para corrigir os joelhos e as mãos. "É algo novo para todos. Estudamos caso a caso e o que fazer de melhor pelos bebês", esclarece Pedro Henrique Mendes, chefe da Ortopedia Pediátrica do Into. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia