Em seu perfil no Twitter, O governador João Doria (PSDB-SP) informou que incluiu policiais federais que atuam em todo Estado no plano de vacinação para os profissionais de segurança de São Paulo
Em seu perfil no Twitter, O governador João Doria (PSDB-SP) informou que incluiu policiais federais que atuam em todo Estado no plano de vacinação para os profissionais de segurança de São PauloEstadão Conteúdo
Por ESTADÃO CONTEÚDO
O governador João Doria (PSDB-SP) informou em seu perfil no Twitter na noite desta quarta-feira, 24, que incluiu policiais federais que atuam em todo Estado no plano de vacinação para os profissionais de segurança de São Paulo. Durante a tarde, o tucano havia divulgado que a partir do dia 5 de abril serão imunizados agentes da Polícia Militar, Civil, Científica e da escolta penitenciária, além dos efetivos de todas as guardas civis e metropolitanas. O governador não citou na declaração nas redes os policiais rodoviários federais que também pedem para ingressar na lista.
Atuam em São Paulo cerca de 1.500 agentes da Polícia Federal. A imunização anunciada por Doria na tarde desta quarta contempla cerca de 180 mil profissionais de segurança pública.
Publicidade
A corporação passou uma quarta-feira tensa e agitada em busca da inclusão de seus policiais na vacinação em São Paulo. Na Superintendência Regional, o delegado Marcelo Ivo de Carvalho teve papel decisivo na gestão junto ao governo paulista até que Doria incluísse os federais no programa.
Ao longo do dia, quatro deputados do PSL - antigo partido do presidente Jair Bolsonaro - encaminharam ofícios da Doria pedindo a inclusão dos agentes federais no plano de imunização estadual: Joice Hasselmann (PSL-SP), Marcelo Freitas (PSL-MG), Carla Zambelli (PSL-MG) e Felicio Laterça (PSL-RJ).
Publicidade
A delegada Tânia Prado se manifestou sobre a decisão: "estamos agradecidos ao governador Doria, por ter incluído todos os profissionais da segurança pública no rol dos próximos a serem vacinados em 05/04, haja vista que se encontram na linha de frente desde o início da pandemia, arriscando suas vidas, em diversas investigações, operações e missões. Este precedente do Estado de São Paulo é muito importante, pois estamos defendendo nacionalmente a valorização destes profissionais, os quais vem sofrendo grandes perdas dentro do serviço público", afirmou Tânia, que é presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia Federal de SP e diretora da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal.