O ministro da Economia, Paulo Guedes
O ministro da Economia, Paulo GuedesMarcelo Camargo/Agência Brasil
Por O Dia
Rio - Nesta quinta-feira, o ministro da Economia Paulo Guedes defendeu que a compra de vacinas anticovid seja liberada para os empresários que quiserem vacinar seus funcionários. Para isso acontecer, seria necessário acontecer uma mudança na legislação, também defendida pelo ministro. Durante o encontro, estavam do seu lado os empresários Luciano Hang, dono da Havan, e Carlos Wizard, fundador da escola de idiomas, que anunciaram a doação 10 milhões de doses para o SUS. A Ação deve ser oficializada amanhã pelo ministro da Saúde Marcelo Queiroga. 
"Olha só como isso é importante, a capacidade de impacto do setor privado pode ter: dois empresários têm 10 milhões de vacinas para serem doados, com dois empresários, dois brasileiros, de coração macio, empreendedores. Agora a imagina 100 empresários?", defendeu Guedes.
Publicidade
"Nós precisamos tornar legal a compra de vacinas pelo setor privado, pois empresários têm condições de comprar sobras de vacina no exterior e isso pode acelerar o processo de vacinação no país. A partir do momento que antecipam a entrega das vacinas, nós antecipamos a imunização de toda a população. Nós queremos evitar o caos no país, então essa é uma medida eficaz", continuou. 
Atualmente, o Projeto de Lei aprovado pelo Senado permite a compra de imunizantes pela iniciativa privada, desde que sejam integralmente doados ao SUS, enquanto todo o grupo prioritário estabelecido pelo Plano Nacional de Imunização não for vacinado. O setor, porém, não está de acordo com a obrigatoriedade da doação. 
Publicidade
O empresário Carlos Wizard comentou as condições: "O Brasil, hoje, enfrenta a sua maior crise de sua história recente: a educação está paralisada, a economia, o entretenimento, até as igrejas estão paradas. E os empresários estão solidarizados. Os empresários estão fazendo uma doação. Mas, para que isso aconteça, para que haja uma flexibilização da legislação".
"Precisamos deixar claro que a vacinação de funcionários tiraria gente do SUS (Sistema Único de Saúde). Nós queremos comprar vacinas e doar para os seus funcionários", acrescentou Hang.
Publicidade
Segundo a Folha de São Paulo, para incentivar a doação das doses ao SUS, Guedes propôs um incentivo por meio de isenção tributária as empresas.