Por daniela.lima

Rio - Qual a emoção que uma corrida proporciona? Foi atrás dessa resposta que, em 2010, a cineasta Lina Chamie fez um curta-metragem sobre a Corrida Internacional de São Silvestre. O curta sobre a prova, que é realizada anualmente todo dia 31 de dezembro, em São Paulo, não conseguiu responder à questão, mas virou um filme com o mesmo nome e acaba de entrar em cartaz nas telonas de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. 

O ator Fernando Alves Pinto completou a prova em 1h40minDivulgação


“Emoção não se explica. Todo mundo falava que era indescritível o ato de correr a São Silvestre até um amador falar para eu correr para saber o seu significado. Então, tive a ideia de fazer um longa sem palavras e entrevistas. Quis mostrar o percurso através do olhar de um corredor”, lembra Lina.

Não é chato ver um filme de 80 minutos sem falas? A cineasta é direta: “O longa tem um trabalho de som muito bacana. Há sons que quase viram mantras com a mistura da batida do coração e o barulho dos passos”.

Longe de ser um documentário convencional, ‘São Silvestre’ conta com a atuação de Fernando Alves Pinto. O ator treinou durante seis meses para percorrer os 15 km da mais famosa e tradicional corrida do país em 2011.

“Nando e eu somos amigos de infância. Ele está em quase todos os meus filmes. Mas neste ele representa os corredores anônimos, que também são heróis, assim como os vencedores”, afirma a diretora.

Para tudo dar certo na hora da filmagem, Lina testou durante um ano as câmeras utilizadas no longa. Foram 17 no total. Uma delas foi carregada por Fernando, que completou a prova em 1 hora e 40 minutos. O resultado disso é praticamente uma ode a São Paulo através da transformação da cidade para o evento receber seus 27 mil participantes.

“É um filme que propõe uma viagem sensorial. É uma viagem do coração que mostra os pontos cardeais de São Paulo. Ele conta a história desses mortais que se transformam em deuses”, garante a cineasta.

Você pode gostar