Roberto Carlos fala sobre biografia e elogia beijo gay

No cruzeiro ‘Emoções em Alto-Mar’, Rei diz estar escrevendo sua própria história e conta ter achado elegante o final de ‘Amor à Vida’

Por tamyres.matos

Rio - Pareciam as velhas tardes de domingo da Jovem Guarda, mas era a 10ª edição do Cruzeiro ‘Emoções em Alto-Mar’, de Roberto Carlos. O cruzeiro do Rei zarpou sábado, de Santos (SP) — onde Roberto chegou para embarcar em grande estilo, pilotando uma Lamborghini branca — e termina quarta-feira, às 12h. Neste domingo, Roberto Carlos deu entrevista coletiva com o navio atracado em Armação de Búzios.

Da Jovem Guarda para cá pouca coisa mudou: as fãs continuam a gritar o seu nome e a cantar os seus sucessos na entrada do teatro da embarcação. Porém, um aspecto da personalidade do Rei parece ter mudado bastante. “Estou bem melhor do TOC, porque estou sentado em uma cadeira roxa e ninguém me avisou nada. Na próxima vez, deve ser marrom”, brincou o cantor.

Livro sobre Roberto Carlos vai custar R%24 4 mil%3A edição de luxoMaíra Coelho / Agência O Dia

“Estou lutando muito contra o TOC. Penso até em voltar a cantar ‘Quero que vá...’”, revelou Roberto, ainda sem mencionar o nome completo da canção ‘Quero que vá tudo pro inferno’. Descontraído, opinou sobre o beijo gay na novela das nove: “Foi feito com elegância. Vejo essas coisas com naturalidade, afinal, duas pessoas que se amam beijam na boca”.

Roberto também anunciou seus planos para 2014: um show no palco do MGM Arena, em Las Vegas (EUA), no dia 6 de setembro, um CD de músicas inéditas e o lançamento de um livro de 400 páginas, com edição de luxo e apenas 3 mil exemplares, que jamais serão reimpressos. A publicação vai custar R$ 4 mil. “Esse livro é repleto de fotos históricas, que nem eu me lembrava, junto das letras das minhas canções. Não é uma biografia. Um lançamento como esse nem precisaria da minha autorização. Mas fui consultado, adorei o projeto e me envolvi totalmente”, contou Roberto, referindo-se à polêmica das biografias não autorizadas.

“Estou escrevendo a minha biografia. Ninguém vai contar melhor a minha história do que eu. Pensam que, por ser escrita por mim, vou esconder algo, mas não. Vou escrever tudo, o que sofri e as minhas alegrias. Essa biografia, provavelmente, vai virar um filme ou uma peça de teatro no futuro”. Questionado se está namorando, Roberto abriu um sorriso encabulado e falou: “Namoraaaaaando, não estou”, deixando no ar que tem uma relação ainda não assumida.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia