Luta de Martin Luther King Jr. é recriada no cinema

‘Selma — Uma Luta Pela Igualdade’ foi indicado ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Canção. Cotação: *** Muito Bom

Por daniela.lima

Rio - Martin Luther King Jr. (David Oyelowo) foi pastor protestante, um dos ativistas sociais mais importantes dos Estados Unidos e ganhador do Prêmio Nobel da Paz, em 1964. Embora tudo isso seja dito em ‘Selma — Uma Luta Pela Igualdade’ (indicado ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Canção), a diretora Ava DuVernay escolheu focar o seu longa em características e pontos específicos da história do país e da vida de King.

No centro%2C o ator David Oyelowo em cena como Martin Luther King Jr.Divulgação


O Alabama de 1965 é recriado na tela para retratar a faceta política do ativista e as marchas realizadas por ele e manifestantes pacifistas, da cidade de Selma, no interior, até a capital Montgomery. É preciso considerar que esta é uma passagem da história estadunidense estudada por todos os americanos. Como vencer o desafio de contar um trecho tão conhecido de um país sem cair no clichê?

Ava soube como fazê-lo. Sem estripulias cinematográficas, com classe e sutileza, foi fiel aos acontecimentos da época em que os negros lutavam contra a segregação social e pelo direito ao voto. A diretora escalou um elenco afiado e figuras carismáticas como Oprah Winfrey, também produtora do filme, na pele da ativista Annie Lee Cooper. O ritmo tenso mantido durante todo o longa prende e envolve até o fim.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia