Após sucesso, Marieta Severo abre mais uma temporada de 'Incêndios'

Espetáculo reestreou na sexta-feira, no Rio, e fica em cartaz no Theatro Net Rio até o dia 3 de abril

Por tabata.uchoa

Rio - Com diversos prêmios na bagagem, a montagem brasileira da peça ‘Incêndios’ tem sua última temporada carioca. O espetáculo, com texto do autor libanês Wajdi Mouawad e direção de Aderbal Freire-Filho, reestreou na sexta-feira e fica em cartaz no Theatro Net Rio até o dia 3 de abril. Depois, segue para a turnê final, que vai passar pelas cidades de Belo Horizonte, Salvador, Santo André, Santos, Guarulhos e Campinas.

‘Incêndios’ conta a história de Nawal%2C uma mulher torturada e estuprada durante a guerra civil no LíbanoLeo Aversa / Divulgação

A atriz Marieta Severo revela a motivação para fazer uma última temporada no Rio. “A peça já tinha se encerrado na verdade, mas nós quisemos fazer essa despedida. Foi um desejo nosso”, diz Marieta. “E quando os deuses do teatro abençoam uma peça, a gente tem que tentar continuar com ela o máximo que der”, emenda a atriz.

A peça conta a história da personagem Nawal, interpretada por Marieta. Como a maioria das personagens da carreira da atriz, esta também tem características fortes e passa por acontecimentos marcantes, como décadas de uma guerra civil, tortura e estupro. No fim da vida, ela passa seus últimos anos exilada no Ocidente de forma voluntária até a morte.

A partir daí, o testamento é lido ao casal de filhos gêmeos — interpretados pelos atores Felipe de Carolis e Keli Freitas —, que ganha a missão de encontrar o pai e um irmão perdido no passado da mãe, no Oriente.
Para entrar na personagem, Marieta Severo conta que foram quatro meses de ensaios e um mês para destrinchar o texto e se aprofundar na situação do Líbano.

“Fomos entendendo melhor a guerra civil que acontecia lá. Eu fui entendendo a trajetória da personagem dentro da peça, no mundo dos sentimentos, para me aproximar ao máximo da vida dessa mulher”, descreve a atriz.

Como a peça aborda temas como o estupro, a atriz também opina sobre o novo feminismo. “Fico muito emocionada de ver essa geração agora levantando isso. Agora, acho que retomaram a bandeira do feminismo em todo seu potencial”, comemora.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia