Mais Lidas

Saiba como foi feita a cena em que um ônibus capota e cai do viaduto em 'Sob Pressão'

Sequência vai ao ar nesta terça-feira

Por Gabriel Sobreira

Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) na cena de acidente de ônibus
Evandro (Julio Andrade) e Carolina (Marjorie Estiano) na cena de acidente de ônibus -

Rio - Foram cinco dias, dois ônibus, dois guindastes, uma escavadeira usada para amassar a lataria, simulando os danos causados pelo capotamento , 20 botijões de gás, 100 litros de querosene, 100 sacos de estopa, 220 pessoas de equipe, quatro dublês e 70 figurantes. Tudo isso foi usado para gravar a cena de um acidente de ônibus que capota, cai de um viaduto e explode e que irá ao ar amanhã, na série 'Sob Pressão', na Globo.

Na trama, Evandro (Julio Andrade) e a mulher, Carolina (Marjorie Estiano), discutem, e ela recusa a carona do marido e opta por ir de ônibus para o plantão. Mas no meio do caminho o veículo em que ela e diversos passageiros estão sofre uma tentativa de assalto, e o ônibus capota, despenca de um viaduto e explode. Sem ter notícias da companheira, ao saber do acidente e da necessidade de ajudar as vítimas, Evandro, cirurgião-chefe da emergência do Hospital Macedão, mal termina a cirurgia que fazia e segue na companhia do residente Charles (Pablo Sanábio) para o local.

PÂNICO

Chegando lá, o médico se depara com um cenário de destruição, e sua angústia só aumenta ao perceber a dimensão da tragédia. Presa com os demais dentro do ônibus capotado, Carolina faz o primeiro atendimento aos feridos e logo percebe a presença do marido, que chama por ela do lado de fora do veículo. Aguardando a chegada dos bombeiros, Evandro auxilia a mulher no socorro dos feridos mais urgentes.

Para montar o cenário, na Zona Norte do Rio de Janeiro, foram utilizados dois ônibus - um para as cenas anteriores ao acidente e outro que precisou ser danificado. Este último passou por uma reforma para ficar exatamente igual ao primeiro. Entre as alterações estavam a troca de estofado, mudança na pintura, além da substituição dos vidros das janelas por acrílico, para garantir a segurança do elenco.

Dois guindastes foram utilizados para tombar o coletivo, ainda sem as danificações do acidente. O ônibus foi suspenso para poder ser virado de lado e colocado deste modo no chão. Após esse processo, uma escavadeira foi usada para amassar a lataria, simulando os danos causados pelo capotamento. As cenas da explosão consumiram 20 botijões de gás, 100 litros de querosene e 100 sacos de estopa.

EXPLOSÃO

Segundo o supervisor de efeitos especiais, Sergio Farjalla, somente a parte do fogo e o início da explosão foram simulados na locação. As outras cenas foram gravadas em um local mais amplo e serão mixadas na edição. Para Andrucha Waddington, diretor artístico de 'Sob Pressão', a cena foi a mais trabalhosa da temporada. "Essa foi a sequência mais complexa em termos de 'acting' (atuação). Não é nem pela ação em si, mas você não consegue imaginar o ônibus capotado e de cabeça para baixo só olhando de lado. A gente só conseguiu imaginar isso capotando o ônibus de verdade. Tivemos que fazer um ensaio uma semana antes na locação com o ônibus já capotado", conta.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários