Nada no sigilo

MC Bianca viralizou com a música 'Tudo no Sigilo', que fez a cabeça de estrelas nacionais internacionais. Nesta quinta ela apresenta um show completo pra ninguém ficar parado

Por O Dia

MC Bianca, de 18 anos, é uma das promessas do funk carioca
MC Bianca, de 18 anos, é uma das promessas do funk carioca -

Você já deve ter ouvido a música 'Tudo No Sigilo' muitas vezes nessa quarentena. Ela lidera o ranking das músicas mais virais em plataformas como Spotify, YouTube, e TikTok, se tornando também a queridinha entre famosos nacionais e internacionais como Sina Deinert e Any Gabrielly, do Now United. Outras estrelas que se arriscaram fazendo a dancinha em vídeos postados nas redes sociais foram Larissa Manoela, Renato Aragão, Letícia Spiller, Agatha Moreira, Isis Valverde, Graciane Barbosa, Lore Improta, Aline Riscado, Bianca Andrade (Boca Rosa), Carlinhos Maia, Bárbara Labres... Ufa! São muitos!

O hit tem como protagonista uma das principais promessas do funk nacional, MC Bianca, de 18 anos, que se prepara para lançar hoje, a partir das 20h30, em sua primeira live, a próxima música de trabalho, 'Cara-Metade'. A apresentação, de caráter beneficente, acontecerá em seu canal no YouTube, com uma pegada intimista, diretamente de sua casa na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.

SUCESSO NA QUARENTENA

MC Bianca já soma mais de 100 milhões de visualizações em plataformas como Sptify e YouTube. A música 'Tudo no Sigilo', composta pela própria funkeira, lidera também a lista dos challenges (desafios), acumulando aproximadamente 335 mil vídeos. A música ganhou inclusive uma versão acústica, com direito a clipe intimista lançado no final da semana passada.

Emocionada e animada como toda a repercussão do público em torno de sua composição, a jovem acredita que a quarentena deu uma mãozinha. "Como as pessoas estão em casa, acabam ouvindo mais música e utilizando mais as redes sociais, o que é muito bom para a música em questão de acessos", acredita. Um ingrediente que somado à letra chiclete, ao ritmo alegre e à coreografia desafiadora, tinha mesmo tudo para ser sucesso.

"Tem muitas pessoas ainda fazendo desafios utilizando a minha música, e isso me deixa feliz por ver que estão curtindo, mesmo que em casa. Precisamos disso para diminuir um pouco o peso desse momento tão triste e tenso que estamos vivendo", acrescenta Bianca sobre a música, que só estourou depois de um mês de seu lançamento, justamente no período da quarentena.

E não foi só no Brasil que a música ganhou forças no período de isolamento social. Ela também se tornou uma das mais utilizadas nas redes sociais, quebrou barreira alcançando um espaço vantajoso também na lista das músicas mais executadas de países como Estados Unidos e Portugal. Neste último, aliás, a música é uma das três brasileiras a compor o 'Top 50' português, sendo a primeira entre elas.

 

LIVE PRA PAQUERAR

O primeira live de Bianca, que conta com mais de 163 mil seguidores no Instagram (@biancaoficial), acontecerá em sua casa, na Barra, e terá arrecadação de fundos e doações para ajudar a comunidade Parque São Mateus, favela localizada na cidade natal da artista, Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. No repertório, canções autorais e covers, com direito a trap, low beat e, claro, muito funk pra rebolar a raba.

Para entrar no clima da apresentação, a cantora usará com muita criatividade os cômodos de sua casa, já que cada um representará um estilo musical diferente, refletindo a personalidade e as referências de Bianca.

Outra surpresa, que O DIA antecipa com exclusividade, será o quadro #AcheSuaCaraMetade, que terá como convidada a influenciadora Thaylise Pivato (Instagram @thaylisepivato). Bianca assumirá o papel de um cupido moderno, nos melhores moldes dos aplicativos de paquera, e com ajuda da Thay, irá selecionar alguns perfis para se conectarem e acharem a tão sonhada cara-metade.

COMEÇO DIFÍCIL

Outro tempero, que ainda de acordo com Bianca, vem fazendo uma grande diferença, está associado ao novo papel da mulher no mercado musical, em especial do funk carioca. "Em pleno século 21, o preconceito ainda é enorme. Boa parte da sociedade ainda julga muito a liberdade de expressão de uma mulher, mas vejo o quanto a nossa força de vontade faz a gente chegar longe. O mundo da música para mulheres é difícil, sim, e eu espero que um dia isso mude completamente, porque somos fortes, somos incríveis, determinadas e livres".

Aos 18 anos, e tendo as cantoras Rihanna e Anitta como grandes referências na carreira musical, Bianca Azevedo Leal, ou simplesmente Mc Bianca, saiu de Campos dos Goytacazes, no interior do Rio de Janeiro para tentar realizar seu sonho de ser cantora na capital carioca.

Com uma renda de pouco menos de R$ 500 por mês, chegou a morar de favor na Baixada Fluminense, e trabalhou como vendedora ambulante na praia antes de conquistar a fama. Seus primeiros cachês, de acordo com ela, eram todos revertidos para comprar material para aprimorar seus shows. E mesmo num cenário diferente hoje, a funkeira reconhece ainda ter um longo caminho a percorrer. "Trabalho, dedicação e nunca desistir. Recebi tantos 'nãos' que é difícil acreditar que o meu sonho está acontecendo'.

Comentários