Morre o compositor Renatinho Partideiro, cria do Cacique de Ramos

Sambista tinha 50 anos e sofria de problema crônico nos rins

Por raphael.perucci

Luto no samba. Morreu neste sábado, aos 50 anos, o compositor Renatinho Partideiro. Cria do bloco Cacique de Ramos, o sambista, que era diabético, faleceu em decorrência de insuficiência renal crônica, no Hospital Salgado Filho, no Méier.

Peça importante na revitalização do Cacique, Renato Cardoso Neves, seu nome de batismo, era considerado um dos maiores partideiros da atualidade e herdeiro da tradição cultivada por nomes como Xangô da Mangueira, Tantinho, Candeia e Arlindo Cruz.

O velório será realizado na sala 1 da Capela Velha de Inhaúma. O sepultamento está marcado para às 16h deste domingo no mesmo cemitério.

Renatinho Partideiro (E) era cria do Cacique de Ramos%2C bloco comandado por Bira PresidenteDivulgação


Gravado por Beth Carvalho

Nascido em 18 de novembro de 1962. Renatinho dedicou-se à música desde jovem. Ficou conhecido ao se destacar no partido alto e se consagrou como líder da roda de samba do Cacique de Ramos. Em 2000, participou do CD de Beth Carvalho e teve sua primeira música gravada pela "madrinha".

Em nota divulgada pela assessoria, a diretoria do bloco, através de Bira Presidente, lamentou o falecimento do sambista. Renatinho Partideiro foi o maior intérprete da do bloco e deixa um filho. Neste domingo, o Cacique não realizará a roda de samba em função do luto. A missa de sétimo dia será realizada na quadra da agremiação.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia