MC Rebecca comemora relação de amor com o funk e diz ignorar críticas preconceituosas

Cantora acaba de lançar a música 'Deslizo e Jogo'

Por Juliana Pimenta

MC Rebecca
MC Rebecca -

Rio - Negra, mulher e mãe, como ela mesma se define, MC Rebecca, de 22 anos, comemora a estreia da sua nova música, 'Deslizo e Jogo'. O clipe, lançado na última sexta-feira em todas as plataformas de streaming, tem pegada sensual e agrada aos fãs da cantora, acostumados com um funk "mais safadinho". Carioca, a funkeira, autora do sucesso 'Cai de Boca' — que ultrapassou seis milhões de visualizações no YouTube — chamou a atenção neste mês durante o MTV Miaw 2019, premiação na qual concorreu a três categorias (Danceokê, Zika do Baile e Feat do Ano).

Todo esse sucesso, no entanto, foi conquistado a partir de um repertório com funks proibidões, os funks com um discurso sexual mais evidente. "Minha relação com o proibidão é a mais natural possível. Sou dona de mim, do meu corpo, e amo o universo do funk. Minha relação é de muito amor", defende MC Rebecca.

Apesar da popularidade das composições com letras mais explícitas, a MC entende que esse estilo específico de música recebe mais restrições para ser veiculado em TVs e rádios. "Entendo a importância de se adaptar a cada veículo, mas isso jamais vai me censurar ou mudar quem sou. Afinal, tem dias que sou mais 'hard', e outros sou mais 'light'. A única coisa que eu não faria é mudar o sentido da letra porque sou também uma compositora", explica.

Rebecca garante, porém, que o seu produto musical é para todos. "Amo muito as criança e sou mãe de uma menina, que tem dois aninhos e é a coisa mais linda da minha vida. Minha música pode ser escutada para quem quiser ouvir, porque música rompe preconceitos e rótulos. Além do mais, funk é poder. É o ritmo que o mundo quer ouvir. É a minha música, e eu me agarro nisso e sigo em frente".

Empoderamento

Mas quem vê esse estilo decidido e empoderado de MC Rebecca nem percebe que a cantora também é, como todas as mulheres, vítima de machismo. A funkeira conta que, uma vez, ouviu de um contratante que ele não esperava que ela desse conta de um show. "Eu respondi que sou um, uma e vários MC's numa só. Comigo nada é brincadeira. Sou negra, mulher e mãe. E isso reflete muito na minha música".

Apesar das críticas sociais, Rebecca garante que, felizmente, nunca passou por um caso de relacionamento abusivo. "Mas já te digo, se acontecer, Lei Maria da Penha na hora. Sou uma mulher de cortar o mal pela raiz".

Sexualidade

Solteira, MC Rebecca foi apontada como affair das cantoras Anitta e Ludmilla. Mas a funkeira nega que esses relacionamentos tenham acontecido. "Sempre fui amiga da Ludmilla e recentemente conheci a Anitta, que é uma querida. Sou fã das duas".

No entanto, falar sobre relacionamentos homoafetivos já é, para ela, uma boa oportunidade para se discutir homofobia e preconceito. "Ser bissexual assumida já é um grande passo. Moro no Brasil, um país que ainda sofre muito com a violência na comunidade gay".

 

Comentários