Por que choras, padrão? (Continuação)

XXXXX

Por O Dia

ANITTA

Mesmo assim, nem tudo é um mar de rosas. "O que nos limita não é a gordura e sim a gordofobia. .Sofro preconceito (risos) e acho que isso vai ser até o fim da minha vida. Mas tenho esperança de que a gordofobia seja criminalizada", torce a ex-bailarina de Anitta por quase dois anos.

A Poderosa, inclusive, faz coro e reforça o pensamento de que não apenas a gordofobia, como qualquer outra forma de discriminação, precisa ser combatida. "Dar espaço é o mínimo que podemos fazer. Como meu trabalho envolve uma exposição, acredito que trazer para o palco gente talentosa como a Thais é também uma tentativa de conscientizar a todos sobre a diversidade e aceitação de si próprio, muitas vezes. Sempre quis contribuir para tirar qualquer minoria que habita nesse lugar 'invisível' que a sociedade insiste em colocar", defende a cantora.

CLEO PIRES E PRETA GIL

Thais comemora o fato de Cleo Pires e Preta Gil serem também vozes que estimulam a aceitação e encorajem mulheres a se amarem como são. "A Preta sempre foi taxada de gorda a vida inteira. Não acho nem a Cleo, nem a Preta gordas. Mas para o padrão que existe na nossa sociedade, essa obrigação estética que a gente tem, esse perfil, elas acabam sendo 'gordas'. Acho maravilhosas elas falarem do jeito delas, do corpo delas, tiveram transições, bem bacana elas falarem sobre isso", vibra.

ROUPAS

Quando o assunto é roupa, Thais explica que isso já foi um problema, já que antigamente não tinha muita opção plus size. Hoje ela consegue comprar roupas também por trabalhar com algumas marcas e alertá-las sobre a necessidade de uma fração do público. "Eles falam que não vende, mas é mentira, eu sei que vende. A moda plus size só vai até 54, às vezes 56. Eu visto 60. E quem veste mais do que eu? Infelizmente ainda são poucas as marcas que vendem para esse público. Dá para contar na palma da mão", lamenta. 

PROPOSTAS DE CIRURGIA

Mesmo com toda autoconfiança e discurso afiado, vira e mexe Thais recebe algumas, segundo ela, nada a ver. "Já me procuraram médico, personal trainer dizendo que eu deveria fazer dietas, malhar, que eu ia ficar sarada. Nem respondo. Isso não tem resposta. Se a pessoa está me oferecendo isso é porque não conhece o meu trabalho e não sabe quem sou eu", frisa a dançarina.

MATERNIDADE

Mãe de Maria Carla, de dois anos, Thais está grávida de quase cinco meses. "O sexo do bebê será revelado no dia 26 desse mês durante um chá de revelação", adianta ela, aos risos. "Estamos todos bem curiosos", confessa. Quando questionada sobre o atual peso, a jovem desconversa. "O médico e eu decidimos que, dane-se o peso. Estou saudável. Não faço ideia mesmo", jura ela, que é adepta da prática de esportes. "Faço de tudo um pouco.Caminho na praia, às vezes nado, malho sempre, danço, faço pilates, hidroginástica. Sempre fui do esporte e da vida ativa. Só depois que fui mãe, que fica um pouco mais complicado, pois a prioridade é a Maria, mas consigo fazer tudo que quero, sair com as minhas amigas, passear. A Maria é uma criança muito de boa, dá para levá-la para qualquer lugar", derrete-se apaixonada.

Thais revela que a chegada da cegonha não foi planejada. Tanto na primeira, quanto na segunda gravidez. "Nada na minha vida é planejado. Só abraço o que Deus me dá", diz. A fluminense revela que acreditava ter dificuldade para engravidar novamente. "Estava muito mais pesada e um pouco mais velha. Não estava com uma rotina tão saudável como tinha antes. Aí achei que o corpo não fosse querer. E acima de tudo, sempre temos nossas dúvidas. Não me deixo abater por elas, mas somos seres humanos", destaca.

Para essa segunda gestação, a dançarina fez "sacrifícios" em nome de uma gestação mais tranquila, saudável e com maior qualidade para ela e o(a) bebê. "A minha alimentação mudou bastante da primeira para essa gestação. Estava com a vida bem desregrada. Não tinha hora para comer, nem para dormir. Por exemplo, já não como fritura, parei de tomar refrigerante e praticamente não como doce", revela ela, que abre exceções no fim de semana. "Saio para comer pizza porque a gente não é de ferro", diverte-se.

 

Comentários

Últimas de DMulher