Escola do Rio tem Feminismo, Cultura Africana, Confeitaria e aposta em eletivas para preparar alunos

A cada semestre, os professores apresentam as disciplinas e dão aos alunos a oportunidade de escolher que matérias querem cursar

Por O Dia

História do Feminismo tem como objetivo aprofundamento dos conhecimentos dos alunos sobre as quatro ondas do movimento e as diversas correntes existentes nos dias atuais
História do Feminismo tem como objetivo aprofundamento dos conhecimentos dos alunos sobre as quatro ondas do movimento e as diversas correntes existentes nos dias atuais -
Rio - História do Feminismo, Direito e Cidadania, Plantas Medicinais, Cinema, Arte e Cultura Africana, Confeitaria e Química & Gastronomia são apenas algumas das disciplinas que entraram para a grade de eletivas, antes uma exclusividade das instituições de ensino superior, do ensino médio do CEAT, escola de Santa Teresa que, em 2020, completa 50 anos.

A cada semestre, os professores apresentam as disciplinas e dão aos alunos a oportunidade de escolher que matérias querem cursar.

História do Feminismo tem como objetivo desenvolver um trabalho que possibilite o aprofundamento dos conhecimentos dos alunos sobre as quatro ondas do movimento e as diversas correntes existentes nos dias atuais. Nas aulas, a prioridade é para a discussão sobre os desafios do movimento feminista atualmente a partir da análise de textos, filmes e visitas a diferentes espaços, como exposições e um abrigo para mulheres vítimas de violência. Nosso principal objetivo é analisar o feminismo como um movimento essencial para o combate às diversas desigualdades presentes no mundo em que vivemos.

O Cinema também entrou em pauta no CEAT e está em duas eletivas: Artes Visuais e Imagem e Movimento. A primeira trabalha diferentes materiais e técnicas, além de movimentos artísticos, artistas e produções. A segunda inclui o desenvolvimento de um trabalho prático pelos alunos.

A eletiva Direito e Cidadania estimula a discussão sobre temas relacionados à promoção dos direitos humanos e garantia aos direitos fundamentais dos cidadãos, debatendo textos e materiais audio-visuais, fazendo visitas a órgãos públicos e da sociedade civil e entrevistando ativistas e especialistas no assunto. No primeiro semestre, foram realizadas atividades relacionadas ao Dia Internacional das Mulheres com um debate sobre os diversos tipos de opressões e o conceito de interseccionalidade, os alunos visitaram o museu da Maré, onde puderam tomar contato mais íntimo com a história daquela comunidade da zona norte da cidade, e a Comissão de Direitos Humanos da ALERJ, onde aprenderam sobre a realidade de população carcerária e das famílias de vítimas atingidas pela violência.


A Arte e Cultura Africana não poderiam ficar de fora e aposta na educação antirracista na medida em que torna público e legítimo falar sobre a questão afro-brasileira e africana. O objetivo é descolonizar os currículos, desconstruir a imagem eurocêntrica de ser a África um continente de mesma cultura, atentando para a sua diversidade linguística e cultural; conhecer os principais pilares unificadores da cultura dos diversos grupos étnicos no continente e conhecer uma História Africana anterior à colonização europeia.

O CEAT oferece também uma eletiva de química. Mas não a química da forma como estamos acostumados a estudar. A disciplina é ensinada a partir da gastronomia. A proposta é ensinar química de forma lúdica e divertida, abordando temas como fermentação e reações de formação de glúten em preparos de pães e massa, cristalização utilizando chocolate, analisar as diferenças nos usos de fermentos químicos e biológicos, observar as diversas transformações na elaboração de merengues, claras em neve e suspiros; e diversos outros assuntos. Desta forma, a química sai da teoria e entra no cotidiano do aluno, podendo ser aprendida empiricamente, facilitando o aprendizado.

As aulas da eletiva de Confeitaria tem como proposta o aprendizado de novas habilidades. O preparo de bolos, quindins, bombons, churros e outros alimentos, dão oportunidade ao alunado de conhecer e explorar novas aptidões. Além do preparo de doces, o estudante tem a oportunidade de aprender algumas técnicas, como: manusear saco de confeitar utilizando diferentes bicos promovendo diversas texturas, cristalização e temperagem de chocolate, fazer bombons, rechear bolos entre outras.

E plantas medicinais também são assunto de uma das eletivas do CEAT. É voltada para um contato básico do estudante médio com plantas de usos terapêuticos e drogas vegetais fitoterápicas. As práticas sobre identificação, preparo e uso de remédios fitoterápicos caseiros ou processados são permeadas de discussões sobre os contextos de uso desde seus povos de origem até a sociedade em que vivemos.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários