Rosinha exalta Dilma e diz que em seu governo os corruptos foram presos

Ex-governadora lembrou que ninguém foi condenado nos escândalos do PSDB

Por paulo.gomes

Rio - A prefeita de Campos e ex-governadora Rosinha Garotinho (PR) fez um discurso de exaltação à presidenta Dilma Rousseff, na noite de terça-feira, em Campos, durante comício de apoio à candidatura de Marcelo Crivella (PRB) ao governo do Rio.

Ao falar sobre os escândalos de corrupção que tem tomado conta dos debates presidenciais, Rosinha lembrou que os políticos envolvidos com o Mensalão, muitos deles do PT, estão presos, diferentemente do que aconteceu no governo do PSDB de Aécio Neves, onde ninguém foi preso nos muitos escândalos ocorridos na gestão federal, mas também nas gestões dos governos de Minas Gerais e São Paulo, que também foram marcados por corrupção.

"Sei que a Dilma não pode falar algumas coisas neste campanha, mas eu posso. O mensalão foi no governo Lula, mas caiu no colo dela. Mas no governo dela foi todo mundo preso. No PSDB do Aécio teve mensalão também e ninguém fala nada", disse Rosinha.

LEIA MAIS: Clarissa Garotinho pede voto para Crivella e Dilma em Campos

A prefeita agradeceu à Dilma por investimentos de mais de R$ 300 milhões em Campos em diversas áreas, e lembrou que o governo do Estado deu as costas para a cidade.

"Das creches que construí, oito foram com recursos do governo federal. Foram 12 unidades de saúde, quadras cobertas nas escolas, banco de sangue, muita parceria. Se o Aécio ganhar, a parceria acaba. Como com o governo estadual. O governo não honra suas obrigações que tem com a cidade. Vou entregar 10 mil casas populares sem ajuda do estado, pois se tivesse, entregaria mais", disse Rosinha.

Sob gritos de "Fora Cabral, Crivella é solução", a prefeita lembrou dos protestos do ano passado, quando o povo foi às ruas pedir a saída do governador Sérgio Cabral, e fez questão de associar seu nome ao de Luiz Fernando Pezão.

"Pezão é o atual governador porque o Cabral meteu o pé quando o povo foi para a rua dizer "Fora Cabral". Mas "Fora Cabral" é também "Fora Pezão". Eles querem colocar a marca da corrupção com a gente, mas a gente não tem processo. Quem tem são eles. A corrupção está com Cabral e Pezão, não com Garotinho, Rosinha ou Crivella", disse Rosinha.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia