Freira que ajudava dependentes químicos é encontrada morta com indícios de estupro

Antónia Pinho, 61 anos, era conhecida como a 'freira radical' porque usava uma moto para circular pela cidade

Por O Dia

Freira Antónia Pinho
Freira Antónia Pinho -
Português - Uma freira de 61 anos foi encontrada morta em uma casa em São João Madeira, em Portugal. Antónia Pinho ajudava idosos e dependentes químicos e era conhecida como a 'freira radical' porque usava uma moto para circular pela cidade.

Segundo o jornal Correio da Manhã, no domingo de manhã, Antónia Pinho disse que ia à missa, mas não apareceu. No início da tarde, foi encontrada morta no interior da casa de um homem. De acordo com o jornal, a suspeita é de que ela tenha sido estuprada e asfixiada.

O homem de 40 anos era dependente químico e já tinha sido condenado por um crime de estupro. Ele havia deixado a prisão há três meses. 
O suspeito disse às autoridades que foi a freira que o convidou para ter relações sexuais. No entanto, depois de ser levado para interrogatório, o homem confessou o crime. 
Ainda não se sabe em que circunstâncias a freira, conhecida por irmã ‘Tona’, se deslocou até a casa. Se por iniciativa própria, já que este era um dos homens que ajudava, ou se foi coagida a deslocar-se até lá.

Antónia Pinho era licenciada em Enfermagem e pertencia à Congregação Servas de Maria Ministras dos Enfermos, no Porto.

Galeria de Fotos

Freira Antónia Pinho Reprodução / CMTV
Freira Antónia Pinho, 61, foi encontrada morta na casa de homem que ajudava Reprodução/ CMTV

Comentários