Democratas dão mais um passo na tentativa de impeachment de Trump

Há vários meses, a comissão já faz investigações sobre Trump e deve, pela primeira vez, colocá-las no marco legal para destituir um presidente.

Por AFP

Donald Trump
Donald Trump -
Washington - Os democratas do Congresso americano deram um novo passo, nesta segunda-feira (9), no caminho para um possível processo de impeachment de Donald Trump, uma opção que continua a dividir a oposição a pouco mais de um ano da eleição presidencial.
Nas mãos dos democratas, a poderosa Comissão de Justiça da Câmara dos Representantes deve formalizar na quinta-feira a abertura de uma investigação para determinar a conveniência de iniciar um processo de abertura de impeachment contra Trump, declarou seu presidente, Jerry Nadler, nesta segunda-feira.
Há vários meses, a comissão já faz investigações sobre Trump e deve, pela primeira vez, colocá-las no marco legal para destituir um presidente.
Seus membros devem se pronunciar sobre uma resolução que esclarece os "procedimentos" a seguir para "determinar se convém recomendar uma votação de destituição contra o presidente Donald Trump".
Segundo Jerry Nadler, a investigação dos parlamentares cobre um vasto espectro. Tratará, primeiramente, das pressões feitas por Trump sobre a investigação a respeito da intervenção russa na campanha à Presidência de 2016. O objetivo é determinar se ele é culpado de obstrução à Justiça.
A comissão também está interessada em um possível conflito de interesses, ligado à receita de seus hotéis e propriedades, desde que chegou à Casa Branca.
Finalmente, vai-se dedicar ao dinheiro usado para comprar o silêncio de amantes que Trump teria tido durante a campanha de 2016. Esse pagamento pode significar uma violação das leis que regulam o financiamento a campanhas eleitorais.
Há meses, os democratas se questionam sobre abrir, ou não, um processo de impeachment contra Trump, sabendo que a maioria republicana no Senado deve, quase certamente, levar a iniciativa ao fracasso.
A presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, mantém reservas quanto a esta ideia, temendo que as discussões no Congresso ofusquem os debates mais importantes para a campanha de 2020.
O número daqueles que apoiam a abertura desse processo não para de crescer e, desde este verão (hemisfério norte), a maioria dos representantes democratas abraçou a ideia.
Em paralelo, os congressistas democratas abriram hoje uma nova frente contra o governo Trump, anunciando a abertura de uma investigação sobre as suspeitas de pressão exercidas sobre a Ucrânia, por parte da Casa Branca.
Suspeita-se de que o presidente Donald Trump e seu advogado pessoal, o ex-prefeito de Nova York Rudy Giuliani, tenham insistido para que este país fornecesse elementos para serem usados contra o filho do favorito nas primárias democratas, o ex-vice-presidente Joe Biden. Durante muito tempo, ele teve interesses relacionados com uma companhia de gás ucraniana.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários