Por AFP
Paris - O grupo farmacêutico francês Sanofi informou nesta segunda-feira (15) sobre "resultados positivos" para seu tratamento Libtayo contra o câncer de útero, "com uma redução de 31% do risco de morte", o que levou o laboratório a suspender antes do previsto seu ensaio de fase 3.

Desenvolvido com o laboratório Regeneron, o Libtayo (cemiplimabe) - um anticorpo monoclonal - já recebeu a autorização nos Estados Unidos para o tratamento de câncer de pele em estado avançado e câncer de pulmão.

"O Libtayo é o primeiro medicamento de imunoterapia a demonstrar uma melhora na sobrevivência global nas pacientes com câncer de útero com uma redução de 31% do risco de morte em comparação com a quimioterapia", diz a Sanofi no comunicado.

Portanto, o laboratório anuncia "a interrupção prematura do ensaio de fase 3", a etapa mais avançada dos ensaios em humanos, antes de sua comercialização.

Para o doutor Krishnansu S. Tewari, diretor da divisão de oncologia ginecológica da Universidade da Califórnia em Irvine e pesquisador do ensaio, "esse é um resultado clínico decisivo que fornecerá esperança para as mulheres que sofrem de câncer uterino em um estado avançado, que são geralmente pacientes mais jovens com outros cânceres. Isso se reflete no ensaio, onde a idade média era de 51 anos".

A Sanofi lembra que este tipo de câncer é a quarta causa de morte por câncer nas mulheres no mundo e que costuma ser diagnosticado entre a idade de 35 a 44 anos.