Bolsonaro mostrando caixa de cloroquina
Bolsonaro mostrando caixa de cloroquinaReprodução/TV Brasil
Por iG
Nova York - Durante a sessão da Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), ocorrida na manhã desta segunda (15), representantes das principais entidades atribuiram ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a responsabilidade pela "tragédia humanitária" que vive o país.

Maria Hermínia Tavares de Almeida, professora titular aposentada de Ciência Política na Universidade de São Paulo (USP), classificou a situação do Brasil como "desesperadora".

Entre os principais erros atribuídos a Bolsonaro, está o "desdém nas recomendações dos cientistas; semear descrédito em todas as medidas de proteção - como o uso de máscaras e distanciamento social; promover o uso de drogas ineficazes; paralisar a capacidade de coordenação da autoridade federal de Saúde; descartar a importância das vacinas; rir dos temores e lágrimas das famílias e dizer aos brasileiros para parar 'de frescura e mimimi."

O Brasil tem sido alvo recorrente de denúncia na ONU, visto que o país é o epicentro da pandemia no mundo e acumula mais casos, nos últimos 15 dia, que os Estados Unidos da América.