Calor na Europa: Londres teve dia mais quente desde 1976

Na França, o calor extremo inédito em 12 anos, que começou no domingo, durará até quinta-feira, com até 37°C nesta quarta-feira

Por O Dia

Paris - Grande parte da Europa sofria nesta quarta-feira as consequências de uma onda de calor, a mais forte desde 2005 na França, enquanto Londres se preparava para enfrentar seu dia mais quente desde 1976 e Portugal continuava lutando contra um incêndio devastador.

Na França, o calor extremo inédito em 12 anos, que começou no domingo, durará até quinta-feira, segundo as previsões, com até 37°C nesta quarta-feira, dia da tradicional Festa da Música. As autoridades ativaram um número especial gratuito para ligações e tomaram medidas para as pessoas mais vulneráveis, como os idosos. Um homem foi encontrado morto no rio Loira (oeste), onde se afogou quando tentava se refrescar. 

Em Portugal, mais de mil bombeiros continuavam lutando contra um incêndio que começou no sábado em Pedrógão Grande, em plena onda de calor e com ventos fortes, que deixou 64 mortos e 157 feridos.

Criança se refrescando por conta do forte calorEfe

Na Espanha, uma onda de calor que começou na quinta-feira e deve durar até domingo provocou temperaturas máximas de 40°C. 

No Reino Unido, os termômetros atingiram 33,9ºC no oeste de Londres, fazendo desta quarta-feira o dia de junho mais quente desde 1976. Os serviços meteorológicos tinham previsto temperaturas superiores a 30°C de sábado a quinta-feira, algo sem precedentes desde 1995.

Na Holanda, onde se prevê que a temperatura ultrapasse os 35 graus na quinta-feira, se aplica desde segunda-feira um plano nacional para combater os efeitos do calor, especialmente nos idosos. Os níveis de alerta de incêndio foram aumentados nas sete províncias fronteiriças com a Bélgica.

Na Bélgica, o "plano verão" foi ativado na rede ferroviária. Os agricultores se preocupam com a seca que afeta o país há vários meses, o que lembra o mesmo fenômeno de 1976. 

Na Itália, os serviços meteorológicos esperam nos próximos dias uma onda de calor que poderia ser a mais intensa dos últimos 15 anos, com temperaturas que ultrapassam em oito graus as normais para a temporada (até 39° em Milão). 

Na Áustria, a previsão é de temperaturas de cerca de 35° até a próxima quarta-feira. Os agricultores e os bombeiros estão em alerta pelos tradicionais fogos de artifício de São João, que poderiam causar incêndios, e os churrascos foram proibidos temporariamente nos parques de Viena.

Na Croácia, foram declarados dois incêndios florestais na costa sul, à beira do mar Adriático, o que levou à evacuação de 800 turistas, embora na tarde de quarta-feira as chamas estivessem controladas.

Na Rússia, uma onda de calor afetou a Sibéria com temperaturas de até 37 graus na quarta-feira em Krasnoyarsk, segundo a emissora Pervy Kanal, enquanto em Murmansk (à beira do oceano Ártico) estava nevando.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência