Mais Lidas

Filhote de golfinho morre encalhado após ser rodeado por turistas

Segundo ONG especializada, excesso de humanos pode ter causado morte do animal, no litoral da Espanha

Por caio.belandi

Espanha - A morte de um filhote de golfinho em uma praia de Mojácar, na Espanha, depois que vários banhistas brincaram com ele, causou indignação no país nesta quarta-feira. 

A Equinac postou fotos de turistas brincando com a filhote de golfinho antes do animal morrerReprodução/Facebook/Equinac

O golfinho, uma pequena fêmea, ficou encalhado nessa praia bastante frequentada, situada no Mediterrâneo. Enquanto estava no local, ele ficou rodeado por centenas de curiosos, até que a equipe de resgate conseguiu se aproximar, segundo informações da Equinac, ONG especializada em resgates da fauna marinha. "Amontoar-se para fazer fotos e tocar neles lhes causa um choque muito forte que acelera bastante (a ocorrência de) uma parada cardiorrespiratória, que foi o que ocorreu", ressaltou a organização. 

A Equinac publicou no Facebook fotos de banhistas brincando na água com o animal, e alguns deles tapavam involuntariamente o orifício pelo qual a espécie respira. 

A organização acrescentou que o jovem mamífero já tinha poucas chances de sobrevivência. A fêmea "foi até a praia por ter perdido a sua mãe" -- razão pela qual não sobreviveria -- "ou por estar doente", informaram. 

A notícia causou indignação nas redes sociais: "Se for a praia, deixe a sua estupidez em casa" ou "tiraram selfies quando ele morreu?", comentaram alguns usuários das redes sociais. 

O partido espanhol contra o maltrato animal (PACMA) fez uma denúncia em uma postagem compartilhada mais de 4.800 vezes no Facebook a respeito do assédio dos banhistas ao animal. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia