Paparazzi que revelou suposto romance de Hollande irá a julgamento

Denúncia de atentado à vida privada foi apresentada pela atriz Julie Gayet, envolvida no acontecimento

Por tamara.coimbra

Revista publicada no dia 10 de janeiro alega que o presidente da França%2C François Hollande%2C tem um caso secreto com a atriz Julie GayetDivulgação

França - O paparazzi que fotografou o suposto romance do presidente francês, François Hollande, com a atriz Julie Gayet se sentará no banco dos réus, e também um de seus colaboradores e dois diretores da revista "Closer", que publicou a notícia, divulgou neste sábado a imprensa francesa usando fontes da promotoria.

A denúncia de atentado à vida privada foi apresentada por Gayet à promotoria de Nanterre, nos arredores de Paris. A ação foi motivada por fotos publicadas pela revista uma semana depois da divulgação do romance, nas quais a atriz aparece ao volante.

"Closer" já foi condenada a uma multa de 15 mil euros pela publicação em 10 de janeiro das imagens de Hollande entrando em um prédio, onde se encontraria com a atriz. Neste outro caso, além do paparazzi Sébastien Valiela, se sentarão no banco dos réus seu cunhado e colaborador Laurent Viers, suposto autor material das fotos; a diretora da revista "Closer", Laurence Pieau, e o diretor da editora, Carmine Perna.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia