Erradicar a malária até 2030 custará 93 bilhões de euros, diz especialistas

Porém, fundos anualmente disponíveis são metade disso

Por karilayn.areias

Rio - Especialistas na área de saúde estimam que serão necessários 93 bilhões de euros para erradicar totalmente a malária até 2030. Entretanto, os fundos anualmente disponíveis são metade disso, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira pela campanha Roll Back Malaria Partnership (RBM).

O Dia Mundial da Malária será lembrado em 25 de abril. A RBM, composta, entre outros órgãos, pela OMS e pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), alertou não só para os avanços na luta contra a doença, mas também para tudo que ainda precisa ser feito.

De acordo com os dados, atualmente existem no mundo 2,3 milhões de pessoas com risco de contrair malária. Estima-se que, em 2013, aproximadamente 198 milhões de pessoas tenham contraído a doença, das quais 584 mil morreram, 90% delas na África.

Desde o ano 2000, a incidência da malária registrou redução de 30% no mundo e 34% na África. Segundo a RBM, os 93 bilhões de euros necessários para eliminar a doença até 2030 permitiriam salvar 12 milhões de vidas e evitariam 3 milhões de casos e uma despesa global de 250 bilhões de euros.

Anualmente, a África deixa de ganhar 11 bilhões de euros em produtividade por causa da doença. De acordo com a RBM, em 2013, foram investidos no mundo 2.416 milhões de euros em diversos programas e projetos para combater a doença. Para a RBM, o montante estimado para que toda a população tenha acesso a métodos preventivos e a tratamentos para curar a malária chega a 4,7 milhões de euros.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia