Por bianca.lobianco

Rio - Servidores da rede federal de Saúde seguem com a onda de protestos pela cidade do Rio, na manhã desta quinta-feira. Por volta das 11h, um grupo, formado por cerca de 100 pessoas, começou uma marcha na Avenida Barão de Tefé, na altura do Hospital Federal dos Servidores do Estado.

Segundo o Centro de Operações Rio, o grupo seguiu pela Avenida Barão de Tefé, passou pela Rua Camerino e Avenida Passos, Avenida Presidente Vargas e interditou a Avenida Rio Branco, no sentido Aterro do Flamengo por 40 minutos. Logo depois, o grupo se concentrou na Rua Araújo Porto Alegre, na altura da Rua México. O grupo caminhou em direção ao prédio do Ministério da Saúde da capital fluminense, localizado na Rua México, onde o protesto terminou.

Funcionários da área da Saúde terminaram protesto em frente ao Ministério da Saúde%2C na Rua MéxicoAlessandro Costa / Agência O Dia

Na terça-feira, servidores protestaram em Laranjeiras, na Zona Sul. O ato começou na porta do Instituto Nacional de Cardiologia (INC), onde os servidores se concentraram. De lá, partiram em direção à sede do Governo do Estado, o Palácio Guanabara, na Rua Pinheiro Machado. Após, retornaram ao instituto.

Leia mais: Em greve, servidores protestam pelo Rio

Prefeitura ainda não sabe o que causou problemas em semáforos da cidade

A Prefeitura ainda desconhece os problemas que causaram a falha na comunicação dos semáforos das regiões do Centro, Zona Sul e Norte da cidade, complicando ainda mais o trânsito na cidade, principalmente na região Central, já bastante castigada pela mudanças por conta do fechamento do Mergulhão da Praça XV e implantação de mão dupla na Rio Branco.

"Ainda não identificamos porque a programação semafórica da madrugada não virou para a da manhã. São muitas pessoas envolvidas na identificação e solução deste problema. A gente entende a causa e estamos atuando para resolver essa questão, pois estamos preocupados com a volta para a casa", disse o chefe executivo do Centro de Operações Rio (COR) Pedro Junqueira.

Quinta-feira é de trânsito caótico no RioAlessandro Costa / Agência O Dia

Pedro explicou a diferença entre essas duas programações. "O que acontece é que você tem uma série de vias e de trechos importantes que, nos horários de rush, são privilegiados, com maior tempo de verde", disse ele. No período da manhã, segundo o chefe do COR, "tem uma sincronia determinada que faz com que você permita dar mais fluidez nesses eixos principais, como por exemplo a chegada ao Centro da cidade". No entanto, nesta manhã, isto não aconteceu.

Por volta das 11h55, o Centro de Operações da Prefeitura informou que o sistema semafórico que controla os sinais de trânsito da cidade foi restabelecido. Segundo informações dos técnicos da CET-Rio, as 11 centrais que apresentaram falha de comunicação no início da manhã de hoje voltaram a ser controladas do COR. Os sinais das regiões do Méier, Benfica, Cachambi e São Cristóvão, na Zona Norte, foram os primeiros a serem restabelecidos por volta das 10:30. Em seguida, voltaram a operar as centrais da Lagoa, Jardim Botânico e Flamengo, na Zona Sul.

Trânsito caótico no Centro

O trânsito é caótico nos principais acessos ao Centro do Rio na manhã desta quinta-feira. Na Ponte Rio-Niterói, o motorista perdeu pelo menos 50 minutos, com trânsito lento em toda a extensão. Não bastasse os transtornos enfrentados no trânsito após as mudanças no Centro do Rio, uma falha na comunicação dos semáforos da cidade complica ainda mais a vida dos motoristas na região.

Os motoristas encontram trânsito lento na chegada ao Centro pela Avenida Brasil, na altura do Into, e no Viaduto do Gasômetro, logo na descida para a Avenida Francisco Bicalho. O panorama é o mesmo para quem segue pela Avenida Francisco Bicalho, no sentido Cidade Nova. Trânsito lento também na Via Binário, Avenida Venezuela e Rua Camerino, que apresenta retenção próximo da Avenida Marechal Floriano.



Você pode gostar