Apenas 22 mil alunos compareceram às salas de aula durante a primeira semana Reprodução

Por Karen Rodrigues*
Rio - A rede estadual de ensino do Rio registrou a presença de apenas 22 mil alunos nas escolas, durante a primeira semana de aula, que começou no dia 1º de março. Com cerca de 700 mil estudantes matriculados em unidades escolares de todo o estado, a Secretária de Estado de Educação do Rio (Seeduc) informou que 300 mil baixaram o aplicativo para assistir às aulas online, mas 58 mil não têm conexão à internet. Além disso, aqueles que tem acesso à computadores e smartphones, criticam a plataforma de ensino online e o pacote de dados oferecido pelo governo.
"Na primeira semana nós tivemos a presença de 22 mil alunos, daquele público que não tem nenhuma conexão, que tem uma vulnerabilidade social muito grande. Dos 58 mil que têm conexão, mais de um terço compareceram às escolas. Mais de 300 mil alunos já estão 'linkados' ao nosso aplicativo e todo dia vai aumentando. A primeira semana é uma semana de adaptação. A cada semana vamos avançando nessa nova cultura que chegou na escola para ficar. Eu estou muito animado", disse o secretário estadual de educação, Comte Bittencourt, em relação à adesão dos alunos às aulas presenciais e online.
Publicidade
Segundo a Seeduc, os números de alunos nas aulas presenciais dependem da organização das escolas e a preferência é dos alunos em vulnerabilidade social, isto é, sem celular ou conexão à internet.
"As escolas se organizam, entram em contato com as famílias, para dar o dia e hora para ir à escola. Na semana passada, foram 22 mil (alunos), porque depende da organização da escola. As escolas sabem quantos alunos eles têm, quantas salas eles têm, qual bandeira elas estão. Preferencialmente, o aluno que tem celular não precisa se expor indo à escola", informou a pasta.
Publicidade
Problemas de conexão
Alguns estudantes têm criticado o pacote de dados oferecido pelo governo para assistir às aulas online e dependem de redes próprias de internet. Além da falta de conexão, alguns alunos também reclamam da baixa qualidade da plataforma.
Publicidade
Em relação aos estudantes que não estão tendo acesso às aulas presenciais e nem remotas e estão tendo problemas com o aplicativo, Bittencourt disse que a secretaria está fazendo os ajustes necessários.
"Eu gostaria que 100% dos alunos já tivessem (em aula). Eles têm procurado nossos canais de ouvidoria, as próprias escolas e estamos trabalhando pontualmente tentando resolver, é um período de ajustes de tecnologia".
Publicidade
O secretário explicou ainda que, no momento, os alunos estão tendo acesso à materiais de revisão de conteúdo do ano passado.
"Nós começamos esse ano com link patrocinado, nós apresentamos o aplicativo, desenvolvemos quase 4 mil materiais com conteúdos de revisão de 2020. Os números são de fato animadores. Nós ainda estamos trabalhando com conteúdo de 2020, mas o conteúdo de 2021 começa no dia 1º de maio. Esse material está todo à disposição dos alunos, com vídeoaulas, podcasts", disse Bittencourt.
Publicidade
*Estagiária sob supervisão de Thiago Antunes