Capitão PM Janvan Creveld Monteiro - Subcoordenador do Centro Presente
 - Divulgação
Capitão PM Janvan Creveld Monteiro - Subcoordenador do Centro Presente Divulgação
Por Capitão PM Jan van Creveld Monteiro Subcoordenador do Centro Presente

As Operações Segurança Presente são um programa do governo do Estado do Rio integralmente voltado para o atendimento público na área de segurança e bem-estar social, criado pela Secretaria Estadual de Governo, com atuação de policiais militares e agentes treinados, visando ao atendimento à população do Rio.

A busca pela paz social é o objetivo do projeto, aliando políticas públicas de serviço social, com profissionais especializados que já atenderam a mais de 10 mil casos de acolhimento e encaminhamento de pessoas em situação de vulnerabilidade, bem como na atividade de policiamento ostensivo, com cerca de seis mil prisões em flagrante nas áreas onde atuam Méier, Lagoa, Aterro e Centro.

No Centro da cidade, o impacto na segurança é bem significativo: em um ano e cinco meses, mais de 600 foragidos do sistema penal foram capturados, e mais de três mil pessoas foram presas por crimes diversos. Fatos como este consolidam o objetivo primário da operação, que é o de devolver o direito de ir e vir aos moradores e frequentadores destes bairros atendidos.

As exitosas ações de policiamento e assistência social das operações Segurança Presente demonstram a inovação que o programa trouxe para o cenário da segurança pública no país, através da legalidade, legitimidade e pró-atividade dos agentes e gestores envolvidos neste novo conceito.

Com origens assentadas nas operações Lei Seca e Lapa Presente e através do apoio de recursos do Sistema Fecomércio-RJ, foram inauguradas as demais operações, que hoje ganham destaque devido ao apoio popular e uma estatística que afirma o compromisso público dos policiais e agentes civis que atuam diuturnamente para servir à população do Estado do Rio de Janeiro.

Os resultados positivos das Operações inspiraram as prefeituras do Rio e de Niterói a lançar programas similares de reforço à segurança. Também se inspirou o Estado de Alagoas, que levou o modelo para a capital, Maceió.

Cabe ainda salientar que todo controle e o gerenciamento operacional das operações são realizados por oficiais da Polícia Militar e por técnicos da Secretaria Estadual de Governo, em caráter estritamente público.

Você pode gostar
Comentários