Por

O presidente da Frente Parlamentar de Apoio à Intervenção na Saúde, deputado estadual Átila Nunes (MDB), irá na próxima semana a Brasília, com os membros da Comissão da Alerj, pedir a intervenção na Saúde do município do Rio. "Em razão do caos que a cidade está vivendo, que já provocou a morte de um paciente no Rocha Faria por falta de atendimento adequado, decidimos criar a frente e fazer a proposta. A ideia é que Temer baixe o decreto de intervenção, para que não ocorram mais mortes", explicou Nunes, que criou a frente no fim de 2017 para buscar meios e recursos emergenciais para resolver a crise na rede pública do município. Procurada pelo Informe, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que não foi comunicada oficialmente e vai aguardar informações.

O que pensa a Federação

Presidente da Federação Nacional dos Médicos, Jorge Darze não acredita na intervenção. "Acho que a proposta não vai prosperar porque é, no mínimo, uma visão míope. Pior do que o município é o estado. O deputado deveria pautar o Conselho Municipal de Saúde", opinou Darze.

Cremerj

Em nota, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro defende a criação de um gabinete de crise que intervenha na saúde, não só do município, mas de todo o estado, envolvendo os governos municipal, estadual e federal. O conselho já se reuniu com o ministro cobrando.

Já aconteceu

Em 2005, o governo Federal fez uma intervenção e decretou estado de calamidade pública no sistema de saúde do Rio, durante a gestão do ex-prefeito, César Maia.

Muito trabalho

A Câmara Municipal do Rio conseguiu aprovar 42 projetos de iniciativa do Poder Executivo. Desde 2009 que não trabalhavam tanto: os vereadores aprovaram 31 Leis, 3 Leis Complementares e 8 Decretos de Lei.

Bombeiros

O Corpo de Bombeiros do Rio registrou recorde de arrecadação da Taxa de Incêndio em 2017. A corporação recolheu R$ 188.651.542,69 com a cobrança do tributo, um aumento de mais de 10% em relação ao ano anterior.

Coroa Grande

Bem antes de aparecerem os primeiros botos mortos na Baía de Sepetiba, a deputada federal Laura Carneiro já havia solicitado um Requerimento de Informação ao Ministério do Meio Ambiente sobre o transporte de minério realizado em Coroa Grande.

Opção para transplantes

O Hospital Vitória, na Barra, recebeu o credenciamento do Ministério da Saúde para realizar transplantes de medula óssea, rim, fígado e coração. Os dois primeiros são cobertos pelos planos de saúde. O serviço estará disponível no segundo trimestre.

Adeus a Porfírio

Morreu ontem, no Hospital Barra D'Or, o jornalista, teatrólogo e ex-vereador carioca Pedro Porfírio. Anarquista por convicção e temperamento, ele lutava contra um câncer no fígado, diagnosticado em 2012, e faleceu ontem devido à falência dos rins.

Você pode gostar
Comentários