Vivaldo Barbosa - Reprodução/Facebook
Vivaldo BarbosaReprodução/Facebook
Por O Dia
O ex-governador Leonel Brizola morreu em 2004. Um dos seus legados foi priorizar a Educação e, para isso, em seu grupo político, ficou no imaginário popular que os Cieps são as melhores sementes da importância do ensino integral. Mas decorridos 16 anos, o carisma brizolista ainda gera votos? Neste fim de semana, o ex-secretário de Justiça de Brizola, Vivaldo Barbosa, lançou uma nota dizendo que "os trabalhistas estão com Benedita", na próxima eleição de 15 de novembro. Vivaldo agora está no PT. Segundo ele, "Benedita é única entre os candidatos que conviveu com Brizola e teve dele respeito e reconhecimento e com mais afinidade com as linhas básicas de sua política: avançar nos CIEPs para salvar nossas crianças; respeito aos direitos humanos, à dignidade da pessoa humana e ao lar como refúgio inviolável da família, seja um barraco, um casebre". Na longa nota, Vivaldo utiliza-se de um discurso um pouco distante das novas gerações. Diz ele: "Não temos o direito de nos enganar. Temos uma herança pesada, que ainda nos esmaga: o colonialismo e a escravidão. Nossa luta é romper com essa herança. Benedita tem tudo a ver".
Procurado, Vivaldo resguardou Martha Rocha, do PDT, mas disse que "o PDT de Carlos Lupi não tem nada a ver com PDT de Brizola. Não representa nenhum anseio do povão aqui do Rio. Estamos afinados com a Benedita, com o significado da campanha dela". Em resumo, ele colocou fogo no parquinho. A ver como isso repercute na escolha do eleitor de esquerda.
Publicidade
O Rio é um Titanic?
O economista Paulo Rabello de Castro não está gostando do que está vendo no horário eleitoral: "O Rio é como um Titanic urbano: já foi objeto de desejo e hoje sobrevive das histórias do seu passado e só seu afundamento. Nada do que os candidatos disserem ou prometeram resgatará uma nau afundada. É preciso lançar outro navio, outro Rio! Nada menos do que isso. O resto é conversa de comadre, os candidatos em papo de botequim. Nada do que os candidatos disserem ou prometerem resgatará", diz.
Publicidade
Solução para os lixões
O Rio de Janeiro já chegou a ter 80 lixões, faltam ser desativados ainda 10. Para o deputado Carlos Minc, "não basta fechar, porque ele vira um passivo ambiental contaminado. Precisam ser remediados. É urgente se fazer tratamento do material, decorrente da decomposição de matéria orgânica, seja em lixão ou aterro sanitário. Por isso foi importante a aprovação da Lei 9055/20 que determina a remediação dos lixões e o tratamento do chorume". 
Publicidade
Bolsonaro entra na campanha
O prefeito Marcelo Crivella colocou Jair Bolsonaro em 100% de sua propaganda eleitoral na televisão nesta segunda (12). Na opinião do cientista político Paulo Baía, "é sinal de que Marcelo Crivella está em desespero eleitoral, quer desfazer a rejeição de 59%, do Datafolha, e de 57%, do Ibope, com Bolsonaro como cabo eleitoral". 
Publicidade
PICADINHO
Empresário Victor Rizzo debate "Dilemas das Redes e Além - Desafios da Privacidade Pessoal em uma Sociedade de Vigilância", no Aquário Casa Firjan, hoje (13), às 19h.
Publicidade
Projeto Cinema Presente na Praça leva exibições itinerantes e gratuitas de filmes nacionais a céu aberto para 20 cidades fluminenses até dezembro.
Centro Espaço Integrado (CEI) convida historiadora Lilia Schwarcz para a Live Aula Aberta CEI com o título "Que gripe é essa? A Hespanhola e as lições da História”, em homenagem ao Dia dos Professores, na quinta (15), às 18h.